Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Cúpula da Segurança detalha medidas sobre caso do policial civil que atirou em PM na cidade de Imperatriz

Inquérito policial e administrativo foi instaurado para apurar a conduta do escrivão.

Secretário Jefferson Portela e a cúpula da Segurança, durante coletiva em Imperatriz (Foto: Divulgação)

O Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, acompanhado da cúpula de Segurança Pública do Maranhão, realizou nessa terça-feira (20), uma coletiva de imprensa sobre as medidas tomadas pela SSP sobre caso envolvendo o policial militar, cabo Adriano, atingido a tiros por um escrivão da Polícia Civil, em Imperatriz, na noite do último domingo (18).

Escrivão da Polícia Civil é preso após atirar em PM na cidade de Imperatriz

A coletiva foi realizada na sede do 3º Batalhão de Polícia Militar de Imperatriz e contou com a participação do delegado-geral da Polícia Civil, André Gossain, do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Pedro Ribeiro, do comandante do 3º BPM, tenente-coronel Marcelo, além de veículos de imprensa.

Durante a coletiva, o secretário Jefferson Portela assegurou que as medidas para averiguar e esclarecer o caso envolvendo os policiais estão em andamento, já tendo sido instaurado o inquérito policial e administrativo para apurar a conduta do policial civil.

“Precisamos deixar claro que essa foi não uma ação da Polícia Civil, mas de um policial fora da atividade institucional e que de forma alguma demonstra uma crise entre a Polícia Militar e Polícia Civil no nosso estado. No mais, garantimos que todo o procedimento legal foi e está sendo adotado e que todo o rigor da lei será aplicado ao caso”, afirmou.

Já o delegado-geral garantiu que não haverá qualquer corporativismo e que a cópia do flagrante da prisão do policial civil já foi encaminhado à Corregedoria da PC, com a abertura do procedimento adminsitrativo.

O policial civil ainda está preso e o cabo Adriano segue internado, mas sem correr risco de vida. As investigações estão em andamento para averiguar os motivos do crime, além da suposta participação de outras pessoas na ação criminosa.

Carregando