Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

”Cachorro na rua tem que matar”, diz vereador

Os deputados encaminharam um ofício à Câmara Municipal pedindo a abertura de um processo interno

Foto: Reprodução

Um vereador defendeu que animais de rua sejam mortos por transmitirem doenças para a população. A declaração foi feita durante sessão da Câmara Municipal de João Pinheiro, Região Noroeste de Minas Gerais, na última segunda-feira (19).

“Cachorro na rua tem é que matar, cachorro em rua do jeito que vemos por toda banda, com problema e doença, amontoado, trazendo doença para população. (…) Cachorro de rua para mim é perder tempo. Eu, se passar por cima de um cachorro, nem olho para trás, penso que não tem dono”, disse o vereador Eli Corrêa (DEM).

As afirmações aconteceram depois que um outro vereador apresentou um projeto de lei para conscientizar as crianças da cidade e criar o mês de prevenção à crueldade animal.

Já Corrêa sugeriu que o sacrifício dos cachorros poderia ser uma alternativa para resolver problemas de zoonoses. “Quando tinha uma carrocinha de catar cachorro, doente morrendo, só ficava aquele que tinha certeza que era saudável, o resto morria tudo.”

Segundo o site Uol, o caso já está sendo apurado pelo Ministério Público. A promotora Luciana Imaculada de Paula explicou que o vereador pode responder por apologia ou incitação ao crime. “Recebemos a representação por parte do deputado. Ela será enviada ao promotor de Justiça de João Pinheiro para análise e providências no âmbito de suas atribuições criminais.” Já a Polícia Civil informou que ainda não foi notificada sobre o caso.

Carregando