Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Nos primeiros quatro meses de 2021, delegacia do Cohatrac registra o total de 40 prisões em São Luís

Entre as ocorrências, delegada citou uma luta corporal que travou com um traficante que resistiu à prisão.

Delegada Sara Bonfim, tenente coronel Marcos Brito, major Daniele e o delegado Carlos Damasceno (Foto: Divulgação)

A delegacia do Cohatrac (13º Distrito Policial), da Seccional Norte, em conjunto com o 20º Batalhão da Polícia Militar, já prendeu 40 pessoas, de janeiro a abril de 2021, na região metropolitana de São Luís. Três mulheres e uma adolescente estão na contagem; o restante, são homens entre 18 e 30 anos.

Na capital do Maranhão, as ocorrências aconteceram nos bairros Cohatrac, Alto do Turu, e Residencial Parque das Palmeiras, localizado na região da Vila Embratel. Em São José de Ribamar, nos bairros Nova Aurora, Cohabiano, Parque Vitória e Parque Jair. Em Paço do Lumiar, no bairro Trizidela da Maioba.

As prisões são decorrentes de denúncias anônimas, em sua maioria, investigações e monitoramentos.

De acordo com a delegada Sara Dalliana Lima Bonfim, que é titular do 13ºDP, das 40 prisões, 30 aconteceram em flagrante, cujos locais foram vias públicas, na maioria das vezes; e, um número menor, em residências. Grande parte foi qualificada por tráfico de entorpecentes. “No entanto, prisões pelo crime de roubo, receptação, tentativa de estelionato e exercício ilegal da medicina”, informou Sara.

Já as outras dez prisões aconteceram nos modos preventivas, temporárias e de recapturas. Em relação a elas, os crimes cometidos foram de homicídio, estupro e roubo. Os mandados de prisão temporária foram por homicídio; os de prisão preventiva, por roubo; e os de sentença definitiva e recaptura, por estupro e roubo.

DELEGACIA

Sara Dalliana Lima Bonfim está há cinco anos no cargo de delegada. Por dois anos, ela foi titular da Delegacia da Mulher (DEM) de Viana. Depois, passou pelas delegacias do Parque Vitória (dois anos e cinco meses), do bairro Bequimão, em São Luís, onde ficou um mês, e nos últimos seis meses está no Cohatrac.

A delegada informou que o 13º DP tem duas viaturas, um investigador, um escrivão e três funcionários do setor administrativo. O prédio está instalado na Rua Contorno Leste Oeste, do Cohatrac.

Em sua estrutura, há uma cela, que, segundo a delegada, é utilizada somente por ocasião da lavratura do flagrante ou cumprimento de mandado de prisão. “Após as formalidades, o preso é imediatamente encaminhado ao Sistema Prisional de Pedrinhas, onde permanece à disposição da Justiça Criminal”, frisou Sara.

CASO INUSITADO

Ainda sobre as 40 prisões, Sara memorou uma em que ela travou uma luta corporal com o suspeito. A ocorrência é do dia 28 de abril, no bairro Novo Aurora, em São José de Ribamar. Um homem identificado apenas pelas iniciais E.B.G.C, e popularmente conhecido como ‘Pente’, foi preso por tráfico de drogas.

A delegada informou que o suspeito transportava 250g de crack (droga avaliada em R$ 7 mil) em uma motocicleta, quando foi abordado pela polícia. “‘Pente’ resistiu à prisão e tentou fugir. Para ser algemado, eu, ele e outro policial, tivemos uma luta corporal. O suspeito ainda tentou tomar minha arma, segurou o cano dela, mas o outro policial disparou na perna dele e impediu que tomasse a minha pistola”, informou Sara.

A titular do 13º DP disse que o preso foi socorrido e, sobre o ferimento, está bem fisicamente. Segundo a delegada, o suspeito já tinha duas passagens pelo sistema prisional, ambas pela prática do crime de tráfico de drogas.

Carregando