Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Profissionais da enfermagem vão às ruas em São Luís pedir piso salarial e redução de jornada de trabalho

Centenas de carros se concentraram na Praça Maria Aragão, de onde seguiram passando pela porta de alguns hospitais.

Profissionais da enfermagem saíram da Praça Maria Aragão (Foto: Gilson Ferreira)

Nessa quarta-feira (12), data na qual é comemorado o Dia Internacional da Enfermagem, profissionais da categoria foram às ruas, em todo o país, reivindicar a aprovação do Projeto de Lei (PL) 2564/2020, em tramitação no Senado Federal, que propõe o piso salarial nacional de enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem e parteiras, além da determinação da jornada máxima de trabalho de 30 horas semanais.

Em São Luís, centenas de carros se concentraram na Praça Maria Aragão, de onde os profissionais seguiram passando pela porta dos hospitais Universitário Presidente Dutra, Socorrão 1, Aldenora Belo eda Criança. O pedido por valorização era unânime em todo o trajeto; que, apesar de ter deixado o trânsito mais lento, contou com o apoio da população.

A enfermeira Marileide Barbosa saiu de um plantão no Hospital Presidente Dutra direto para a carreata. Segundo ela, é fundamental a categoria estar de mãos dadas e cobrar a valorização que merece. “A aprovação desse projeto é muito importante para a enfermagem. Hoje, a enfermagem vive numa carga horário exaustiva e com um salário que cada vez mais está defasado. Essa pandemia mostrou como nossa profissão é essencial e precisa ser reconhecida”, frisou.

PISOS SALARIAIS

O projeto, que é de autoria do senador capixaba Fabiano Contarato (Rede), estabelece que o piso salarial do enfermeiro seja de R$ 7.315,00 mensais; o do técnico de enfermagem de R$ 5.120,50. Já o auxiliar teria o valor fixado em R$ 3.657,50. Todos os valores são referentes à jornada de 30horas semanais.

O presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA), José Carlos Júnior, em discurso para os profissionais que se reuniram na porta da Assembleia Legislativa do Estado, no bairro do Cohafuma, ao final da carreata, destacou a luta da categoria que há anos busca por salários melhores e justos. Segundo ele, a partir de agora, a batalha é para que o PL 2564 entre em pauta no Senado, seja aprovado e siga para sansão presidencial.

“Chega de jornada excessiva. A enfermagem hoje trabalha até 44 horas semanais. Não existe vida social, o profissional vive de um trabalho para o outro. Estamos aqui na porta da Assembleia Legislativa, também, para solicitar apoio aos deputados estaduais para que a pauta da jornada de 30 horas seja avaliada aqui no Maranhão. Precisamos do reconhecimento da nossa categoria”, explicou o presidente.

Carregando