Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Dia Nacional da Luta Antimanicomial é pauta de roda de conversa no Hospital Nina Rodrigues

A ação contou com apoio do Instituto Vida e Saúde (Invisa), entidade que gerencia a unidade, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde.  

O Hospital Nina Rodrigues realizou, na manhã dessa terça-feira (18), uma roda de conversa que marcou o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. O evento foi promovido pela diretora-geral do hospital, a psicóloga Ana Gabrielle Romanhol, com a participação de Marcelo Francisco Azevedo, que tem pós-graduação em acupuntura, e é técnico do Departamento Estadual de Saúde Mental; Alexandre Furtado, que possui residência médica no Nina Rodrigues; e, Alexandra Avelar Tavares, professora no Departamento de Psicologia da Universidade Ceuma. A ação contou com apoio do Instituto Vida e Saúde (Invisa), entidade que gerencia a unidade, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde.

O evento foi promovido pela diretora-geral do hospital, a psicóloga Ana Gabrielle Romanhol (Foto: Gilson Ferreira)

De acordo com Gabrielle Romanhol, no bate papo com profissionais foi discutido o resgate histórico da Luta Antimanicomial. Ainda ontem, já no período da tarde, ocorreu novo evento com o tema “Aonde tem abuso, não tem brincadeira”. E na manhã de hoje (19), no ambulatório do Nina Rodrigues, ocorre uma reunião sobre plantas medicinais na saúde mental, sendo que pela tarde, haverá um cineterapia e arteterapia.

No bate papo com profissionais foi discutido o resgate histórico da Luta Antimanicomial (Foto: Gilson Ferreira)

O 18 de maio marca o Dia da Luta Antimanicomial. A data rememora o Movimento da Reforma Psiquiátrica, que teve seu início na década de 70, durante o período de redemocratização. Há 34 anos, acontecia a primeira Conferência Nacional de Saúde Mental no Brasil, resultado da mobilização do movimento.

A diretora-geral do Hospital Nina Rodrigues explicou que a data traz consigo histórias de denúncias, pensamentos críticos e sobretudo questionamentos a respeito de conceitos ainda hoje discutidos como: liberdade, medicalização, exclusão, estigma, controle social e violência.

“Hoje (ontem) é um momento, sobretudo, para discutirmos os avanços que temos tido no Nina Rodrigues. Por exemplo, temos a terapia ocupacional inserida no tratamento, justamente porque o atendimento nesta unidade médica conta com múltiplos profissionais, e não somente o psiquiatra. O paciente é visto como sujeito singular”, declarou Gabrielle Romanhol.

O Hospital Nina Rodrigues está localizado na Avenida Getúlio Vargas, bairro Monte Castelo, São Luís. A unidade médica existe há 80 anos. Ele funciona como o único serviço de emergência psiquiátrica do estado do Maranhão, e possui leitos de observação em até 72h para estabilização do quadro psicótico. Casos de internação são encaminhados para as clínicas São Francisco e La Ravardiere, esta localizada na Avenida São Luís Rei de França, bairro Turu.

Carregando