Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Perdas em meio à pandemia deixam a imprensa de luto no Maranhão

Os jornalistas Luiz Pedro e Ruben Mukama e o fotógrafo Juracy Meireles deixaram um legado no jornalismo do Maranhão.

Os jornalistas Luiz Pedro e Ruben Mukama e o fotógrafo Juracy Meireles deixaram um legado no jornalismo do Maranhão (Foto: Divulgação)

A semana que passou ficou tragicamente marcada em São Luís pela morte dos jornalistas Luiz Pedro e Ruben Mukama e do fotógrafo Juracy Meireles.

Mukama faleceu na noite de sexta-feira (4). Ele lutou ao longo de 15 dias contra a Covid-19. Internado desde o dia 21 de maio, ele teve uma piora rápida chegando a ser entubado. Ele tinha 53 anos, e deixa esposa e uma filha.

Na manhã desse sábado (5), o jornalista Edwin Jinkings, diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa do Estado, e Silvia Tereza, diretora-adjunta de Comunicação, divulgaram nota manifestando profundo pesar pelo falecimento de Ruben Mukama.

Profissional da área de Comunicação de reconhecido talento, Ruben Mukama foi jornalista do Sistema Mirante, da Rádio 92.3 e da FM Esperança. Também trabalhou na Secretaria de Comunicação do Governo do Maranhão e foi superintendente de Marketing da Prefeitura de São Luís na gestão do prefeito João Castelo.

O repórter fotográfico Juracy Meireles faleceu em São Luís na madrugada de sexta-feira (4), em decorrência de problemas cardíacos. Ele tinha 74 anos de idade. Trabalhou em diversos periódicos, entre os quais o Jornal de Hoje, Diário do Norte, O Debate, jornais O Estado do Maranhão e Tribuna do Nordeste e Leia Hoje Revista.

Juracy trabalhou também em órgãos do Governo do Estado, como Secom e Caema, e na Prefeitura de São Luís, como fotógrafo da SMTT e Semosp.

O ex-deputado e jornalista Luiz Pedro de Oliveira e Silva morreu na madrugada de quarta-feira (2), no Hospital UDI, em São Luís. Ele estava internado desde o último domingo (30), após sofrer infarto em sua residência.

Militante de esquerda, ele tinha 68 anos de idade e foi filiado ao PDT quando exerceu seu último mandato na Assembleia Legislativa. Atualmente estava no PT e comandava um blog sobre política, o “Assim que é”, além de participar do programa “Os Analistas”, da TV Guará.

Outras Perdas

No Maranhão, dentre tantas vítimas, em plena pandemia, já perderam a vida os radialistas Roberto Fernandes, Juarez Souza e Carlos Henrique Cavalcante, o “Galinho”, os jornalistas Alfredo Menezes, Ronald Damasceno, Régis Marques e Názile Duailibe. E também o ex-cinegrafista Conrado Neto Santos, a ex-Miss Maranhão Cíntia Itapary, a colunista social Rosenira Alves, que escrevia a “Coluna Vip” no Jornal Pequeno, e o jornalista e vereador Batista Matos.

Em meio a esta pandemia já se foram ainda o deputado Zé Gentil, os ex-deputados Freitas Diniz, Vagner Pessoa e Luiz Pedro, os exvereadores Chico Poeta, Joan Gabriel Botelho, Helena Castro e Simone Macieira. Também faleceram o bispo auxiliar emérito de São Luís, Dom Geraldo Dantas de Andrade, o padre Bráulio Ayres e o padre João Dias Rezende Filho, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM), presbítero do clero da Arquidiocese e pároco da Paróquia Nossa Senhora da Luz, de Paço do Lumiar.

Morreram ainda os cantores e compositores Chico da Ladeira, Pity de Alcântara e Gigi Moreira, o militante político Wagner Baldez, o engenheiro Celso Azevedo, ex-dirigente do Lítero e da Flor do Samba, o professor Samuel Melo Júnior, então presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no Maranhão, e o acadêmico Pedro Ivo de Carvalho Viana, que costumava escrever artigos para o Jornal Pequeno.

Outras vítimas: a chef e empresária Ana Lula,proprietária da “Casa de Jujja” e do Bar Antigamente; o empresário Zeca Belo, Arnaldo Martinho, ex-diretor do Cintra em São Luís,o advogado Mozart Baldez e o artesão Joaquim José da Silva Neto, que ficou conhecido pelo trabalho que fazia confeccionando miniaturas de aviões. Dentre tantas outras vítimas

Carregando