Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Taxista que matou namorado da ex-mulher é preso em Grajaú

O crime aconteceu no dia 8 de abril de 2013, após uma suposta colisão entre dois veículos.

Foto: Ilustração

Na semana passadas, mais precisamente na quinta-feira (10), a Polícia Civil do Maranhão, por meio do 2º DP e Delegacia Regional de Barra do Corda, cumpriu um mandado de prisão contra o taxista Célio Roberto Lopes Santana, de 35 anos, suspeito de ter assassinado o serralheiro Haroldo da Silva Conceição, também de 35. Ele foi preso no povoado Alto Brasil, no município de Grajaú.

O crime aconteceu no dia 8 de abril de 2013, próximo à Rua da União, no bairro Pirâmide, na MA-204, na região metropolitana de São Luís, após uma suposta colisão entre dois veículos.

Na época, o suspeito, ex-marido da namorada de Haroldo, desceu do veículo e desferiu vários tiros contra a vítima, que morreu no local

SOBRE O CRIME

Segundo investigações da Delegacia de Homicídios, para cometer o crime, o taxista forjou um acidente de trânsito, pois estaria seguindo a vítima desde o momento em que deixou sua namorada em casa, num bairro do município de São José de Ribamar.

Após chegar a um determinado trecho da MA-204, segundo informou a polícia, o suspeito teria ultrapassado o carro da vítima e provocado uma colisão. Ao descer do seu táxi, Célio Roberto atirou várias vezes contra Haroldo, que morreu no local.

CONCLUSÃO

A Delegacia de Homicídios concluiu que a morte do serralheiro Haroldo da Silva, assassinado a tiros no bairro Pirâmide, havia sido um crime passional, cometido pelo taxista Célio Roberto. Segundo concluiu a Polícia, não houve discussão após o choque entre os dois veículos.

Célio Roberto, segundo apolícia, planejou a morte de Haroldo, por sentir ciúmes de sua ex-mulher, identificada como Érika Rejane, com quem conviveu durante 12 anos.

A mulher relatou à polícia que o suspeito tinha um ciúme doentio e que já tinha registrado vários boletins de ocorrência, informando que era agredida fisicamente pelo marido.

Devido ao ciúme e às agressões, ela se separou do taxista, de forma definitiva, em outubro de 2012. Em janeiro de 2013, diante das ameaças, Érika conseguiu por meio da justiça, uma medida protetiva determinando uma distância de 300 metros do seu ex-marido. No entanto, o taxista não aceitava o fim do relacionamento e o namoro entre Érika e Haroldo.

Durante as investigações, a polícia descobriu que a vítima estava sendo seguida pelo taxista. Na época, o delegado Marco Antônio Fonseca, que acompanhou o caso, disse que Haroldo foi alertado por um colega do suspeito dizendo para ele se afastar da mulher, pois Célio poderia matá-lo.

PROCEDIMENTOS   

Após todo processo de investigação, a Polícia descobriu que Célio Roberto trabalhava em um posto de táxi, localizado em frente ao Terminal de Integração do São Cristóvão, e possuía um ponto de moto táxi na Forquilha.

O táxi do suspeito, segundo a Polícia, um Corsa Classic, foi encontrado na casa de outra ex-mulher dele.

Após as formalidades legais, Célio Santana foi encaminhado à Unidade Prisional de Ressocialização (UPR) de Grajaú, onde ficará à disposição da Justiça.

Carregando