Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia prende suspeito de vender diplomas falsos no interior do Maranhão

Na casa do investigado foram apreendidos um computador, pendrives, HD externo, celular e documentos de várias pessoas.

MAterial apreendido na casa do suspeito de falsificar diplomas (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Delegacia de Santa Luzia do Paruá, pertencente à 8° regional de Zé doca, deu cumprimento a um Mandado de Busca e Apreensão Domiciliar na casa de um investigado de iniciais C.F.F., residente na cidade de Maranhãozinho. Ele é suspeito de vender diplomas universitários falsos no interior.

Na casa do investigado foram apreendidos, para fins de investigação, um computador, pendrives, HD externo, aparelho celular, documentos pessoais de várias pessoas que teriam contratardo o investigado. Também foram localizados diversos carimbos de algumas das faculdades e com descrição de cargos da esfera universitária, que eram usados para as práticas das fraudes.

De acordo com a polícia, os computadores e demais mídias apreendidas serão submetidos a perícia no Instituto de Criminalística do Maranhão (ICRIM/SSP/MA), com o intuito de identificar a existência de arquivos e programas usados para manipulações e confecções dos diplomas falsos.

Conforme as investigações, no ano 2018, um grupo de aproximadamente 50 formandos dos cursos de Geografia, Pedagogia e Serviço Social de Santa Luzia do Paruá sofreram um primeiro golpe por terem se formado em faculdade que não os diplomou. Com isso, eles procuraram o indivíduo, ora investigado, sob a promessa de convalidar seus diplomas.

O investigado prometeu resolver as situações, e para tanto cobrou de cada aluno uma quantia média de R$ 1.350,00 (um mil, trezentos e cinquenta reais). Em seguida, emitiu os diplomas e os históricos escolares.

Os diplomas também eram falsos e não passavam de uma mera montagem (falsificação) feita pelo investigado, de acordo com a Polícia Civil, que, com a busca dessa sexta-feira, 25, já constatou um número maior de vítimas do mesmo suspeito. Em em sua casa foram encontrados dezenas de documentos de outras pessoas, todos associados à questão escolar.

A Polícia não descarta que alguns dos interessados possam ser coniventes com a falsificação dos diplomas, e para esta hipótese, os envolvidos também responderão a processo por uso de documentos falsos.

Na Delegacia de Santa Luzia do Paruá encontram-se em andamentos três inquéritos policiais que apuram as práticas de golpes de cursos e diplomas universitários fraudulentos. Um dos formandos, inclusive, já é alvo de investigação por uso de diploma falsificado.

A Polícia recomenda aos que fizeram seus cursos de graduações por meio de pólo de ensino terceirizados na região, que, antes de fazer os usos dos diplomas, procurem se certificar diretamente com a Reitoria da Faculdade para confirmar a autenticidade. Também recomenda aos alunos que façam contatos diretos com os canais de atendimento na sede da própria Faculdade, e que mantenham arquivados os registros desses contatos, evitando, assim, cair em golpes.

Carregando