Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Jovem grávida com Covid morre uma hora após filha recém-nascida

Adelita, de 24 anos, teve que passar por uma cesárea de emergência com 32 semanas de gestação após ser infectada.

Adelita tinha 24 anos e morreu 1 horas após a filha recém-nascida (Foto: Arquivo pessoal)

Everton Henório Domingos, 28 anos, que trabalha como conferente de mercadorias em uma empresa de material de construção no pequeno município de Lauro Müller, em Santa Catarina, sofreu duas grandes perdas no último domingo (26): a esposa e a filha recém-nascida. Adelita Alves Nunes, 24 anos, contraiu covid-19, precisou ser internada e passou por uma cesárea de emergência com 32 semanas de gestação.

A bebê, que nasceu prematura, sofreu uma parada cardiorrespiratória e teve que ser entubada, assim como a mãe. No entanto, mãe e filha não resistiram e morreram com apenas uma hora de diferença. “Nunca imaginei, ninguém espera. Eu estava confiante que elas melhorariam. Oramos tanto a Deus. Ao mesmo tempo que estávamos aflitos, achávamos que daria tudo certo. Não tem palavras. É um vazio, a gente fica num buraco”, lamentou. Segundo Everton, a esposa não estava vacinada contra a covid. “A vacinação para gestantes na nossa cidade iniciou semana passada, quando ela já estava isolada com covid”, lamentou.

Comoção

A morte de mãe e filha causou comoção no município. “O Everton vivia um conto de fadas ao lado da esposa. Ele é um trabalhador, rapaz muito religioso, que namorou pouco. Era um casal espetacular. Everton, Adelita e a filhinha Ana Clara, com certeza, iriam formar uma família linda. Eu não consigo imaginar a dor deste rapaz e da família. Só Deus é capaz de acalmar esse coração, eles eram felizes”, lamentou o radialista Edio Antônio, amigo do casal.

Em nota, o Hospital São Roque enfatizou todo o esforço das equipes responsáveis em lutar pela vida de Adelita e Ana Clara.

“A paciente gestante (com Covid-19) deu entrada no Hospital de Caridade São Roque no dia 24 de junho. Ela havia positivado no dia 16. Entre os dias 26 e 27, o Hospital de Morro da Fumaça realizou diversas tentativas de transferência da gestante para hospitais de alta complexidade, porém sem sucesso. No dia 27, por volta das 13h, a paciente dessaturou e necessitou de intubação. Meia hora depois a equipe com 4 médicos (incluindo um obstetra) decidiu realizar a cesárea de emergência para preservar a vida da bebê de 32 semanas. A criança nasceu com vida, teve seu exame constatado que não estava com covid-19, porém, durante o processo de transferência para uma UTI Neonatal, teve uma parada cardíaca e não resistiu, mesmo com diversas tentativas de reanimação. Enquanto tentava a transferência da mãe, a equipe médica também tentou por diversas vezes reanimar a mesma, que teve algumas paradas cardíacas durante o período. Ela se manteve com o mesmo estado de saúde, sem progresso até às 19h20 minutos quando entrou em óbito. A equipe do Hospital de Caridade São Roque está desolada, a situação abalou a todos e o clima é de muita tristeza pela perda da mãe e de sua filha de 32 semanas”.

Carregando