Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

TV por assinatura ou streaming: o que é melhor para você?

Faz muito tempo que as únicas opções de entretenimento das famílias brasileiras deixaram de ser a novela

Foto: Reprodução

Faz muito tempo que as únicas opções de entretenimento das famílias brasileiras deixaram de ser a novela das nove da Globo ou o Programa do Ratinho, no SBT. A partir de meados dos anos 1990, a TV por assinatura tornou- se uma opção cada vez mais popular, oferecendo uma variedade muito maior de canais com filmes, séries, desenhos e outros conteúdos. Mas, com o desenvolvimento da internet nos últimos anos, mais uma alternativa chegou aos lares para rivalizar com ela: os serviços de streaming.

Nesse sentido, muitas famílias migraram sem pestanejar para a tecnologia mais nova — o que gerou uma queda no número de assinantes da TV por assinatura bastante alardeada pela mídia, de 15,6 milhões de usuários no início de 2020 para cerca de 14 milhões em meados de 2021. É uma diminuição substancial, é claro, mas as operadoras parecem estar conscientes dessa movimentação e estão lançando cada vez mais ofertas para atrair seus consumidores novamente, além de novos pacotes e serviços.

Com isso, muitas pessoas acabam ficando em dúvida: TV por assinatura ou streaming, o que é melhor para o seu caso, especificamente? Há muitos aspectos que precisam ser analisados na hora de tomar essa decisão — e a gente fala sobre cada um deles nos parágrafos a seguir.

As vantagens e desvantagens dos streamings

Em um primeiro momento, a escolha pode parecer fácil para muita gente, já que os pacotes de TV por assinatura não saíam por menos de R$ 100 ao mês, enquanto uma conta da Netflix custava em torno de R$ 20. Mas, ultimamente, é possível ver promoções de TV paga com boa quantidade de canais por R$ 70 ao mês ou menos. Algumas ofertas até incluem uma conta da Netflix no pacote, para quem quer ter os dois serviços.

A questão é que, para ter o serviço de streaming, você precisa ter um bom pacote de internet para transmitir as imagens em alta qualidade — o que acaba levando essa conta para valores até maiores que os da TV por assinatura, que não depende de conexão. É claro que a internet é usada para muito mais atividades que o streaming, mas isso é algo que deve ser analisado.

Contudo, o principal fator que você precisa analisar para fazer uma escolha entre o streaming e a TV por assinatura é que existem muitos serviços atualmente: Netflix, Globoplay, Disney+, Amazon Prime Video, HBO Go, Telecine Play… Quando começamos a somar cada uma dessas mensalidades, que parecem baratas separadas, chegamos uma quantia muito mais alta que qualquer pacote de TV por assinatura, no fim das contas. Aí, o que compensa mais?

Outro aspecto que ainda faz muitas famílias não cancelarem suas assinaturas de TV paga é que, nem sempre, você quer parar para assistir a um filme ou uma série: pense nos esportes ou jornalísticos, por exemplo. São transmissões ao vivo que ainda fazem parte da televisão e estão no streaming nos apps desses canais (como o da ESPN, por exemplo).

Além disso, pode ser muito mais cômodo simplesmente ligar a TV e deixá-la passando algum canal do que ativamente ter que escolher aquilo que queremos assistir no streaming. Ou, então, se surpreender com o fato de que nosso filme favorito está passando em algum canal e revê-lo, inesperadamente, ou descobrir um novo filme muito interessante só porque caímos em um canal aleatório. Pequenos prazeres de outras épocas, mas que podem fazer diferença para algumas pessoas e valem a pena mencionar.

Por fim, é interessante ponderar que a televisão tem uma usabilidade mais simples do que os aplicativos de streaming (que exigem smartphones ou computadores) para pessoas que não têm tanta intimidade com a tecnologia. Além disso, como dito acima, a TV por assinatura não depende de conexão com a internet e oferece qualidade máxima de imagem em praticamente qualquer situação.

Um serviço não invalida o outro

Naturalmente, os streamings têm muitas vantagens — caso contrário, não observaríamos uma quantidade tão grande de pessoas migrando para eles, não é mesmo? Entre as maiores e mais relevantes, estão a possibilidade de ver aquele filme ou série que você quiser, na hora que você quiser e quantos episódios em sequência você quiser, sem depender de uma grade de programação dos canais. Mais liberdade de escolha, portanto.

Essa busca por liberdade de escolha tem sido observada pelas operadoras de TV paga e canais, que passaram a criar seus próprios serviços de streaming. A Claro, por exemplo, tem o NOW incluso em suas assinaturas, permitindo ver qualquer programa ao vivo, além de uma enorme variedade de filmes e séries, em qualquer dispositivo. De modo semelhante, há o HBO Go ou Telecine Play, entre outros serviços.

Na realidade, a combinação faz tanto sentido que as próprias operadoras estão começando a oferecer promoções conjuntas de TV por assinatura com streaming: há planos Vivo TV com Netflix e Amazon Prime no Vivo Play, opções da Sky com HBO Max, enquanto a Claro permite usar a Netflix em um canal da TV, mesmo que seu aparelho não seja smart. Isso apenas para dar alguns exemplos, uma vez que há diversas ofertas surgindo todos os dias.

Desse modo, além de escolher entre um ou outro, é possível aproveitar as vantagens de ambos os serviços, tendo acesso a filmes e séries sob demanda e aproveitando a televisão para ver programas ao vivo, além de zapear canais quando você não quer escolher ou se a conexão de internet falhar na sua casa. Escolhendo os pacotes corretos. Se você ainda tem dúvidas sobre o que escolher para você ou sua família, entre em contato pelo Whatsapp Vivo para mais informações.

A escolha depende de cada perfil

Claro que, para algumas pessoas (em especial as mais jovens, vale ponderar), apenas os filmes e séries da Netflix ou Amazon Prime interessam. Então, os 20 ou 30 reais da assinatura desses serviços soam infinitamente mais vantajosos do que os 70 ou 100 reais de qualquer pacote de TV por assinatura — por mais canais que estes ofereçam.

Então, no fim das contas, a escolha depende do seu perfil: quais tipos de conteúdo sua família gosta mais de assistir, em quais momentos e ocasiões, quantas pessoas assistem conteúdos ao mesmo tempo em telas diferentes (já que os streamings costumam fazer essa limitação), entre outras perguntas que você deve se fazer antes de “bater o martelo”. Essas questões são importantes até para escolher quais serviços de streaming você vai assinar, caso sua decisão, de fato, seja por deixar a TV por assinatura.

Se esse for o caminho, não esqueça que você precisa de um pacote de internet robusto para suportar a transmissão de imagens em alta definição — afinal, ver imagens distorcidas é algo que ninguém quer, certo?

Carregando