Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Suspeito de matar eletricista no interior de Pernambuco é preso no Maranhão

Vítima trabalhava na Companhia Energética de Pernambuco, e iria cortar a energia no haras do investigado, que tinha uma dívida de R$ 28 mil.

Sebastião Ayres estava sendo procurado pela morte de José Reginaldo, ocorrida em 2020 (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Maranhão prendeu o suspeito de assassinar um eletricista da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), em Limoeiro, no Agreste, em setembro de 2020. Sebastião Ayres de Assis Neto, de 45 anos, apontado como responsável pela morte de José Reginaldo de Santana Júnior, foi capturado em Codó, distante 356 km da capital São Luís.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a operação foi realizada em parceria com equipes maranhenses. O suspeito era alvo de um mandado de prisão expedido pela Justiça. O crime ocorreu em 29 de setembro do ano passado, quando o funcionário da companhia estava cortando a energia de um haras de propriedade do suspeito. A empresa tinha uma dívida de R$ 28 mil com a concessionária de energia.

O autor do crime foi alvo de uma campanha do Disque-Denúncia. O serviço ofereceu recompensa de até R$ 20 mil para quem ajudasse a encontrá-lo. A polícia não informou se a captura teve ajuda de algum informante.

CRIME

O crime ocorreu na zona rural de Limoeiro, durante um corte legal de energia. A ação foi determinada pela companhia por causa da falta de pagamento. A Polícia Militar informou que o assassinato aconteceu por volta das 16h, na Fazenda Haras Vovó Zito.

Segundo registros da polícia, havia dois eletricistas no momento do crime. Após o corte de energia, o proprietário da fazenda, que já tinha fechado a porteira com um cadeado, “demonstrou grande insatisfação e efetuou um disparo de arma de fogo contra um dos funcionários”, que morreu no local.

O homem ainda obrigou o segundo funcionário, de 39 anos, a religar a energia, “ameaçando-o com a arma de fogo apontada em sua direção”.

Depois da religação, ele ainda ameaçou o segundo funcionário e o obrigou a entrar no porta-malas do carro da Celpe.

Na delegacia, a testemunha contou ao delegado Fabrício Pimentel que chegou à fazenda, com o colega José Reginaldo, por volta das 14h17, em uma caminhonete da companhia. A porteira estava destrancada e eles foram conferir o medidor, verificando que a medição do imóvel não tinha irregularidades.

Também de acordo com o depoimento do técnico, o proprietário apontou a arma para José Reginaldo e disse para ele religar a energia e o eletricista obedeceu e desceu do veículo, mas foi baleado quando estava próximo ao porta-malas.

Carregando