Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Casos de Guillain-Barré após vacinação são raros, informa Anvisa

A síndrome é um distúrbio neurológico autoimune raro

Foto: Reprodução

Os casos da síndrome de Guillain-Barré (SGB), reportados após a vacinação contra a Covid-19, são raros. Foi o que informou nesta quinta (29) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foram reportados até esta quinta, 27 notificações de casos suspeitos de SGB após a imunização com a vacina da AstraZeneca, além de três casos com a vacina da Janssen e outros quatro com a CoronaVac, totalizando 34 registros.

A síndrome é um distúrbio neurológico autoimune raro, no qual o sistema imunológico danifica as células nervosas. Os episódios pós-vacinação (eventos adversos) também são raros, mas já conhecidos e relacionados a outras vacinas, como a da influenza (gripe).

De acordo com a agência, a maioria das pessoas se recupera totalmente do distúrbio. Diante dos relatos de eventos adversos raros pós-vacinação, a agência solicitou que as empresas responsáveis pela regularização das vacinas AstraZeneca, Janssen e CoronaVac incluam nas bulas dos respectivos produtos informações sobre o possível risco de SGB.

Os sinais e sintomas da SGB são percebidos, inicialmente, pela sensação de dormência ou queimação nas extremidades dos membros inferiores (pés e pernas) e, em seguida, superiores (mãos e braços).

Outra característica, acrescenta a agência, percebida em pelo menos 50% dos casos, é a presença de dor neuropática (provocada por lesão no sistema nervoso) lombar ou nas pernas. Fraqueza progressiva é o sinal mais perceptível, ocorrendo geralmente nesta ordem: membros inferiores, braços, tronco, cabeça e pescoço.

Carregando