Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

BR-135 acumula 30 retornos irregulares dentro de São Luís

Dois motociclistas morreram no km 2 da rodovia, na Vila Maranhão, após um deles realizar um retorno proibido e provocar a colisão.

Uso de retorno irregular existente na região da Vila Maranhão causou acidente fatal com dois motociclistas (Foto: Gilson Ferreira)

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) é uma autarquia responsável por construir e manter as rodovias federais. Para ele, entre outubro de 2017 e essa quinta-feira (29), o Jornal Pequeno já enviou três pedidos de posicionamento ao órgão sobre a existência (e o excesso) de retornos proibidos na BR-135, em São Luís.

Além das aberturas indevidas que os condutores utilizam para encurtar seus trajetos, e que não foram fechadas pelo Dnit nos últimos quatro anos, o mato alto é outro problema que oferece risco aos condutores de veículos. Atualmente, a rodovia tem 30 retornos irregulares. Eles estão localizados na Avenida dos Portugueses, região do Anjo da Guardar, e entre os bairros Nova República, Tirirical e Vila Maranhão.

Na manhã dessa quarta-feira (28), dois motociclistas morreram após colisão entre as motocicletas que pilotavam, no km 2 da rodovia, na Vila Maranhão.

O acidente aconteceu após um dos motociclistas envolvidos realizar um retorno irregular no trecho da BR-135. Ele foi atingido por uma outra motocicleta que vinha em altavelocidade e não conseguiu parar ou desviar, provocando o choque.

Imagens de uma das câmeras de um posto de combustível, às margens da rodovia, mostram o momento que Jaílson do Nascimento Ferreira, de 37 anos, conduzindo uma Honda CG/160, sai do outro lado da rodovia para fazer o retorno e é atingido em cheio por Nataniel Pimenta Santos, 31, que pilotava uma moto de cilindrada bastante elevada.

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Instituto Médico Legal (IML) estiveram presentes no local da colisão.

De acordo com a PRF, os dois motociclistas tiveram morte imediata, enquanto a passageira que estava em uma das motos foi levada para o hospital, em estado grave.

2017 E 2018

No dia 11 de julho de 2018, entre os quilômetros 8 e 22 da BR-135, numa extensão de apenas 14 quilômetros, foram conferidas 16 aberturas indevidas que os condutores utilizavam para encurtar seus trajetos. O mesmo levantamento já tinha sido feito no dia 19 de outubro de 2017.

No intervalo de quase nove meses de uma data para outra, os retornos irregulares tinham permanecidos, quase um por quilômetro na BR-135. Eles estavam localizados entre os bairros Nova República, Pedrinhas e Estiva.

Em 2017, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes informou que estava em fase de assinatura o contrato de conservação para o trecho da BR-135, mencionado na reportagem. E, ainda, que estava previsto o fechamento de todos os retornos irregulares com o apoio da PRF.

SITUAÇÃO ATUAL

Nessa quinta-feira, a equipe de reportagem do JP percorreu toda a Avenida dos Portugueses, encontrando dois retornos proibidos: um no Anjo da Guarda, quase em frente à Praça da Ressureição, e outro em frente à Unidade Mista, na Vila Embratel.

“É normal a utilização deste retorno aqui na Vila Embratel, o próximo retorno regular está depois do Hospital da Mulher, em frente ao posto de combustível do Anjo da Guarda. Ninguém quer ir até lá, se pode fazer o retorno aqui”, comentou o funcionário de uma oficina mecânica, que fica em frente ao retorno irregular na Vila Embratel.

Na altura do Km 8, na Nova República, a reportagem encontrou o primeiro retorno irregular da região do Tirirical. Nesse local, a abertura indevida no canteiro central da rodovia foi feita bem próxima a uma parada de ônibus.

“Estou aqui esperando um coletivo, que me leve até minha casa, mas fico atenta aos carros e motos que fazem esse retorno, pois a parada está bem em frente, qualquer erro de cálculo na manobra, se vir desatento, com velocidade, o motorista pode atingir quem está nesse ponto de ônibus”, disse o estudante Rafael Santos.

No Km 8, a reportagem conferiu exatos cinco retornos irregulares; até a entrada para a Vila Maranhão, no Km 0, há 14 aberturas proibidas no canteiro da BR-135. Já na Vila Maranhão, existem 24 retornos clandestinos. Sendo que em um deles ocorreu o acidente entre as duas motocicletas, na quarta-feira.

MATO ALTO

Outro fator preocupante é o mato alto que prejudica na sinalização da via, a partir da Avenida dos Portugueses até o Posto Paizão, que fica logo após a área urbana da Vila Maranhão. Uma parte desse trajeto é duplicada, há sinalização sobre proibição de ultrapassagem, aviso de quebramolas, limite de velocidade e retornos, porém, todas prejudicadas pelo matagal.

Nessa quinta-feira, o Jornal Pequeno pediu novo posicionamento ao Dnit, mas até o momento, o órgão não enviou resposta.

Carregando