Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Porto do Itaqui inicia a exportação da safra do milho

Julho marca o início do escoamento da produção de milho pelo Porto do Itaqui, que movimentou cerca de 600 mil toneladas em nove navios. Esse volume do mês bate o mesmo período do ano passado e fica 15% acima do total movimentado de janeiro a julho de 2020. A soja, que já vinha com volume […]

Julho marca o início do escoamento da produção de milho pelo Porto do Itaqui, que movimentou cerca de 600 mil toneladas em nove navios. Esse volume do mês bate o mesmo período do ano passado e fica 15% acima do total movimentado de janeiro a julho de 2020. A soja, que já vinha com volume expressivo ao longo do primeiro semestre, subiu 21% no mês (comparado a julho passado) e 18% no acumulado do ano.

O milho produzido na região do MATOPIBA (que compreende os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) e Mato Grosso, por meio do porto público maranhense, segue principalmente para o Egito, responsável por 32% do volume exportado. Entre os principais destinos, abaixo do mercado africano, estão a Espanha e o Japão.

Além da soja e do milho, no final deste segundo semestre haverá um incremento no volume total de grãos. “A expectativa é de que o Tegram opere navios de farelo de soja de outubro a dezembro”, anuncia o presidente do Consórcio Tegram, Marcos Pepe Bertoni.

A movimentação de grãos ficou 16% acima do volume registrado no período de janeiro a julho do ano passado, chegando a um total de 8,6 milhões de toneladas, considerando as operações do Tegram e da VLI. Em 2020, o volume de grãos movimentados pelos dois terminais chegou a 12,1 milhões de toneladas e a previsão é ultrapassar a marca das 13 milhões de toneladas até o final deste ano.

Próximos anos

De acordo com as projeções mais recentes do Departamento Agrícola Americano (USDA), até 2030 as exportações de grãos no Brasil devem crescer mais de 36% e o Porto do Itaqui vem se preparando para esse cenário. A inauguração da 2ª fase do TEGRAM em 2020, aumentou a capacidade anual de exportação de grãos para 20 milhões de toneladas.

E para expansão da logística de importação de fertilizantes, insumo essencial da cadeia produtiva de grãos, foi firmada recentemente uma parceria entre a Companhia de Logística VLI e a COPI – Companhia Operadora Portuária do Itaqui para a criação de um novo ramal ferroviário conectando a malha do Corredor Centro-Norte ao terminal da COPI no Porto do Itaqui.

Com esse ramal o fertilizante será interligado a um novo terminal intermodal que será construído em Palmeirante (TO). As obras devem começar agora em agosto e o investimento é de cerca de R$ 200 milhões.

Fonte / EMAP

 

Carregando