Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Unidade de Acolhimento promove evento de encerramento da equipe de estágio do curso de Psicologia

Para marcar o período de encerramento do estágio, foi preparada uma tarde especial com os acolhidos e seus respectivos familiares.

A equipe multidisciplinar da Unidade de Acolhimento Adulto (UAA) promoveu, nesta quarta-feira, 4, o encerramento dos serviços da equipe de estágio do curso de Psicologia da Universidade Ceuma. A iniciativa foi da preceptora Silvia Di’leli e das estagiárias, que completaram um mês de trabalho na unidade de saúde.

Acolhidos da UAA homenagearam a equipe de estágio (Foto: Divulgação)

Para marcar o período de encerramento do estágio, foi preparada uma tarde especial com os acolhidos e seus respectivos familiares, com direito a apresentação musical, coffe break, mesa de diálogo, entrega de brindes e muitas outras atividades.

Como tema “O fortalecimento do vínculo familiar como recurso importante no processo de ressignificação da história de vida”, o evento contou ainda com a participação de dois antigos acolhidos, que superaram a dependência química e, agora, vivem uma nova fase.

Mesa com brindes para os acolhidos (Foto: Divulgação)

“Quando cheguei aqui, há um ano, não tinha mais perspectiva nenhuma de vida. Depois, com a atenção que recebi, o carinho de todos, pude dar a volta por cima, e com a ajuda da minha família, consegui me livrar da minha dependência no álcool,” frisou Antônio Rocha, que está sóbrio há um ano.

Michel, de 33 anos, também deixou seu depoimento, reforçando as palavras do colega Antônio: “É uma satisfação muito grande ver todas essas famílias aqui presentes, porque a família é uma parte muito importante nesse processo de recuperação. O sentimento é só de gratidão, pela minha mãe, que acreditou em mim, e todos os profissionais da UAA”, ressaltou, emocionado, após dois meses e sete dias de tratamento na unidade.

A mãe de Michel e a irmã de Antônio também deram seus depoimentos, agradecendo a Unidade de Acolhimento pelo empenho e dedicação em recuperar seus entes queridos.

“O objetivo do evento foi fortalecer o vínculo familiar no tratamento do dependente químico, esclarecendo que a família contribui para a recuperação deles. É na família que as pessoas encontram conforto, confiança e motivação para poder continuar e vencer”, ressaltou Daiane de Oliveira Costa, coordenadora da Unidade de Acolhimento.

Daiane de Oliveira Costa, coordenadora da Unidade de Acolhimento falou aos presentes (Foto: Divulgação)

O psicólogo Miguel Filho, colaborador da UAA pontuou a importância dos laços familiares no processo de recuperação dos acolhidos: “Penso que um evento como esse é um momento de fechamento de ciclo, não só para as estagiárias mas para os acolhidos que tiveram a oportunidade de vivenciar na prática e na teoria a importância da afetividade que a família pode ressignificar dentro desse mundo chamado comportamento e sentimentos”, destacou.

Para a psicóloga Silvia Di’leli, da Universidade Ceuma, a atividade de encerramento do grupo de estagiárias do curso de Psicologia reforçou o vínculo familiar como recurso fundamental para ressignificação da história de vida dos acolhidos: “A atuação das psicólogas em formação, Leila Moraes, Raimunda Cristina Almeida e Leticia Serra, foi muito produtiva , durante todo o período de estágio desenvolvido na UAA, e a homenagem feita pelos acolhidos legitimou o êxito da equipe em todo o trabalho proposto. A participação dos músicos voluntários abrilhantou o evento, que teve o apoio incondicional de toda equipe multidisciplinar da UAA”, pontou.

A psicóloga Silvia Di’leli destacou a atividade de encerramento do grupo de estagiárias do curso de Psicologia (Foto: Divulgação)

Unidade de saúde gerenciada pelo Instituto Vida e Saúde (INVISA), em parceria com o Centro de Assistência Psicossocial de Álcool e Drogas (Caps-AD), A UAA tem capacidade para atender até 14 acolhidos, e, atualmente, está com sua capacidade máxima de operação.

A Unidade de Acolhimento funciona na Avenida 3, Nº 0, no bairro Cohab-Anil III, em São Luís, e ainda oferece todo um acompanhamento pós-alta do acolhido.

Carregando