Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Criança é estuprada por cinco homens e jogada de penhasco

Um dos abusadores assassino é tio da menor, que é da etnia Kaiowá

Foto: Reprodução

Uma criança indígena de 11 anos foi brutalmente assassinada no último dia 9 de agosto, próximo ao município de Dourados (MS). A menor foi estuprada por cinco homens, um deles seu tio, e depois arremessada de um penhasco com mais de 20 metros de altura.

Em depoimento à polícia, os cinco acusados – três adolescentes e dois adultos – disseram que dois adolescentes foram os responsáveis por buscar a criança na casa dela. No local, começaram ingerir bebida alcoólica e em determinado momento, os jovens disseram ter arrastado a vítima pelos cabelos até a pedreira.

“Os menores confessaram que receberam uma proposta em dinheiro para arrastar a menina para o local [penhasco]. No fim, não tinha sido uma proposta em dinheiro, mas sim os quatro combinaram de levar ela ao penhasco e estuprá-la. Levaram a menina a força ao local, deram socos e machucaram ela no caminho”, disse o delegado Erasmo Cubas, responsável pelo caso.

No penhasco, outros dois homem estava esperando a chegada dos adolescentes com a vítima. Segundo as informações da Polícia Civil, os rapazes teriam obrigado a criança a ingerir pinga.

Enquanto os quatro abusavam sexualmente da criança, o tio da vítima teria chegado ao local e violentado da sobrinha. À polícia, os suspeitos confessos disseram que a menina gritava por socorro constantemente e teria desmaiado por conta da bebida e abusos.

“Durante a barbárie o tio da vítima chegou ao local e também participou do crime. Quando a vítima começou a recobrar a consciência, voltou a pedir socorro e disse que ia denunciar os autores e por isso eles decidiram jogá-la do penhasco para não serem descobertos”, descreve a nota enviada pela Polícia Civil.

A criança foi encontrada nua e com pedaços dilacerados por causa da queda, na segunda (9). Após o exame necroscópico, os legistas confirmaram que vítima havia sido abusada sexualmente.

Já na terça (10), os cinco assassinos confessaram o crime e serão indiciados pelos crimes de estupro de vulnerável, feminicídio e homicídio qualificado.

Carregando