Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Após 7 anos, obras na Estrada do Araçagi se arrastam e causam transtornos

Poeira, lama e engarrafamento são problemas enfrentados por quem trafega pela região.

Lentidão nas obras realizadas na Estrada do Araçagi tem causado transtornos a quem trafega pela região (Foto: Gilson Ferreira)

No ano de 2014, foi iniciada a obra da MA-203, conhecida como Estrada do Araçagi, que interliga os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. Os serviços na rodovia estadual foram paralisados ainda em 2014, e retomados em 2015, após revisão do projeto, com o estreitamento do canteiro central e a remoção de postes de iluminação em alguns trechos, para a sua viabilização.

Naquela época, a obra tinha prazo de finalização para 2016, o que não ocorreu. Outros prazos de conclusão foram anunciados pelo governo do Maranhão, sendo o último de dezembro de 2019. Atualmente, os trabalhos seguem em marcha lenta, o que ainda provoca uma série de transtornos para quem trafega diariamente pela região.

De acordo com o governo do Estado, com base em informações técnicas do engenheiro responsável pela obra, as intervenções na Estrada do Araçagi têm como objetivo interligar avenidas dos quatro municípios da Grande Ilha (São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar), melhorando o tráfego de veículos.

A obra compõe o prolongamento da Avenida Litorânea (já realizado), em 1.800 metros, e inclui a recuperação do canteiro central e a construção de calçada e ciclovia. O investimento é de mais de R$ 29 milhões pelo governo do Maranhão, para a realização da obra de duplicação da MA-203, incluindo a construção do elevado (já feito).

O serviço é feito por meio da Agência de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), e tem como um dos objetivos implantar o “Transporte Rápido por Ônibus” (BRT). Com investimento de 140 milhões, a implantação do BRT é a maior obra de mobilidade urbana do estado.

De acordo com a MOB, a implantação do corredor exclusivo de ônibus rápido vai proporcionar mais rapidez e qualidade no transporte público, diminuindo em até 40 minutos o tempo de deslocamento ao centro de São Luís.

A primeira etapa da obra do BRT na MA-203 segue até a altura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Araçagi, e vai contemplar duas vias de concreto, o que consiste em base de camada de brita graduada simples (BSG), com dez centímetros de espessura, dez centímetros de concreto compactado a rolo (CCR) e ainda 23 centímetros de camada de concreto que finaliza o pavimento.

TRANSTORNOS

Nesta semana, o Jornal Pequeno encontrou no local operários em dois trechos da via, quando eles realizavam serviços estruturais na Estrada do Araçagi. A obra permanece causando transtornos aos moradores e para quem por ali trafega constantemente.

“Eu preciso passar por esta via todos dias, na ida e volta ao trabalho. Já esteve pior. No início da obra, era um ‘Deus nos acuda’, mas continua ruim. Não vejo a hora disto ficar pronto”, declarou a professora Renata Costa, que mora no Araçagi e trabalha em um curso de idiomas na Avenida dos Holandeses.

“É lamentável que toda obra estadual, no Maranhão seja assim, demorada. Há poeira onde os serviços não foram finalizados. Quando chove, formase lama da mistura de material de construção com água da chuva. É um tanto estressante dirigir pela via, mas necessário, pois moro no Araçagi”, reclamou o dentista Francisco Souza Neto.

Em novembro de 2020, um caminhão era encarregado de jogar água na Estrada do Araçagi para amenizar a poeira; foi uma medida paliativa realizada pela MOB.

Outras medidas rotineiras naquela época, segundo a MOB, eram a duplicação das faixas nos períodos de maiores fluxos de veículos e a limpeza constante do acúmulo excessivo de material de construção. Em dezembro do ano passado, devido aos trabalhos feitos na Estrada do Araçagi, os motoristas trafegavam em apenas uma via, no sistema de “pare/siga”. Ou seja, parte dos condutores de um sentido da avenida passava, depois passava outra parte do sentido. A situação resultava em longos congestionamentos e muitos aborrecimentos.

Ainda em dezembro de 2020, à imprensa, a MOB informou que a obra atrasou devido às fortes chuvas do fim de 2019, e por conta da pandemia do novo coronavírus. Porém, quando as chuvas começaram e quando a pandemia iniciou, a obra já deveria ter sido entregue, uma vez que o prazo de conclusão dela era dezembro de 2019.

FISCALIZAÇÃO DA OAB

Em fevereiro deste ano, a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Maranhão, (OAB-MA), por meio da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana, realizou uma inspeção ao longo da MA-203, para verificar os motivos de atraso na obra. Participaram da inspeção o presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana, Caio Fialho, e o vice-presidente da Comissão Luciano Cunha.

De acordo com a OAB-MA, durante a inspeção foram constatados vários pontos inacabados da obra e ausência de drenagem em alguns pontos da via, o que, segundo a entidade, estava ocasionando alagamentos no período de chuva. Na época da vistoria, a OAB-MA afirmou que tomaria medidas cabíveis.

O Jornal Pequeno procurou nesta semana a entidade para saber se alguma providência foi tomada contra a MOB, mas a OAB-MA não deu retorno à demanda do jornal.

INTERVENÇÕES

Iniciadas em 2014, as obras só puderam ser retomadas em julho de 2015, após revisão do projeto, com o estreitamento do canteiro central e a remoção de postes de iluminação em alguns trechos, para a viabilização dos serviços.

De acordo com o projeto original, o canteiro central do Araçagi era largo para circulação de transporte público do tipo Bus Rapid Transit (BRT) – ou Transporte Rápido por Ônibus, em português –, mas trazia riscos.

Com a revisão do projeto, a via para transporte coletivo foi remanejada para as extremidades da pista. Em 2016, foi feita a liberação da pista superior do viaduto, entre as rodovias MA-203 e MA-204. No mesmo ano, um trecho de três quilômetros estava sendo duplicado pelo governo do Estado. Atualmente, está concluída a implantação da camada asfáltica na obra do BRT.

A capa asfáltica, que compreende a utilização do binder (camada de ligação) mais CBUQ (Concreto Asfáltico Usinado à Quente) corresponde à última fase da pavimentação flexível, que recebeu tratamento no subleito e leito da via.

Ainda em 2016, fortes chuvas que caíram em São Luís prejudicaram a trafegabilidade das vias laterais, que compreende o trecho da obra do BRT no Araçagi.

Para recuperar a fluidez do trânsito no local, a MOB desenvolveu a recuperação dessas vias com brita tratada com cimento, a fim de extinguir os buracos e devolver o fluxo normal de veículos no local. Atualmente, estão concluídas, pelo governo do Estado, readequações na via e no canteiro central. O governo também fez retornos de quarteirões, concluiu o elevado e a rotatória de acesso a Raposa.

Moradores anunciam carreata para exigir explicações da MOB

Devido à lentidão e aos transtornos provocados pela obra na Estrada do Araçagi, um grupo de moradores da região anunciou que fará, neste sábado (14), uma carreata lenta e manifestações, durante as paradas.

Conforme texto em um card divulgado nas redes sociais, o objetivo do protesto é exigir explicações da MOB e do governo do Estado, a respeito do andamento da obra da MA-203.

Íntegra da nota enviada pela MOB

“O governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), está implantando na Grande Ilha um novo modelo de transporte público que vai interligar os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar, o BRT (Bus Rapid Transit ou Transporte Rápido por Ônibus).

O projeto BRT é dividido em etapas e atualmente encontra-se na fase de restruturação do trecho que compreende da Avenida São Carlos (entrada da CGU) até Avenida Brasil (intermediações da Piscina Igui), tendo dois meses de previsão para o término desse estágio.

Esta fase abrange serviços de drenagem (execução de sarjetas, meio fio, bocas de lobo, entre outros), ampliação das vias de tráfego, execução de pavimento rígido para passagem do BRT, realização do pavimento flexível (asfaltamento da via), construção de passeio e ciclovia e manutenção da iluminação pública (com trocas de postes de iluminação). Além disso, estão sendo feitos alguns reparos em toda a extensão da Avenida dos Holandeses – Bairro Araçagi, bem como a recuperação asfáltica, limpeza dos dispositivos de drenagem, restruturação de ciclovias e passeios e instalação de sinalizações verticais e horizontais.

Todas essas medidas estão sendo realizadas com o intuito de melhorar a trafegabilidade e o conforto dos usuários.

A MOB está tomando todas as medidas necessárias para evitar transtornos, entre elas foram executados desvios nas vias, contendo sinalizações verticais, presença de fiscais da Agência e apoio da Polícia Militar Rodoviária do Estado do Maranhão, a fim de auxiliar os motoristas no entendimento do novo fluxo de trânsito da MA203.

No mais, busca-se evitar que serviços nos quais seja necessária a intervenção completa da via, sejam realizados em horários de pico (algumas vezes optando-se pelo trabalho noturno)”.

Carregando