Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Voluntários do Movimento Mangue sem Lixo recolhem 400 quilos de lixo em manguezal

Foram recolhidos resíduos como garrafas Pet´s, isopor, redes e fios de pesca, par de calçados, solas e chinelos.

Voluntários do Movimento Mangue sem Lixo recolheram 400 quilos de lixo em manguezal (Foto: Divulgação)

Moradores e voluntários realizaram no último domingo (22/08), no povoado do Mojó, em Paço do Lumiar, um mutirão de limpeza de um trecho do mangue, onde boa parte dos dejetos despejados no mar se concentram, desmatando a vegetação dos manguezais. Os voluntários recolheram neste local mais de 407 quilos de lixo.

Para o um dos voluntários, o bombeiro Marcos Pimenta, uma parte dos resíduos encontrados é oriunda dos próprios pescadores, como rede de pesca, linhas de nylon e isopor.

“Falta ainda a conscientização do pescador para ele entender que não se joga isopor, restos de rede de pesca e linhas, como se fosse lixo, no próprio mangue, que é de onde ele tira seu próprio sustento”, frisou.

O “Movimento Mangue Sem Lixo” é uma iniciativa da Organização Não-Governamental (ONG) Arte-Mojó, da Associação de Trabalhadores Rurais de Mojó e Montanha Russa, Sítio Jiboia e Associação Ambiental Orla Viva, com parceria do Núcleo de Gestão Socioambiental do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) e Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais de Paço do Lumiar-MA.

As atividades de catação do lixo, dentro dos manguezais, acontecem uma vez por mês e tem como objetivo chamar a atenção para a preservação desta flora, que vem sendo ameaçada por toneladas de resíduos sólidos todos os dias.

Para a presidente da Ong, Graça Soares, a meta, além da limpeza, é fazer o replantio dessas árvores nas áreas que já estão sofrendo devastação por excesso de garrafas pet, sacolas plásticas, solas de sapato, isopor e redes de pesca.

“A ideia do Movimento Mangue sem Lixo não é só limpar o mangue, pois sabemos que não vamos conseguir tirar todo o lixo que tem nele, mas além de alertar a população e os moradores da região, queremos fazer o replantio desta vegetação, que vem sofrendo com essa quantidade de plásticos em suas raízes”, afirmou Graça Soares.

Os interessados em contribuir com doação de máscaras, luvas e sacos de lixo (de preferência biodegradáveis e como voluntários), podem entrar em contato com os organizadores pelos telefones 99118-3377 e 98134-0233 ou pelo e-mail: artemojo@hotmail.com.

Carregando