Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão tem 984 pessoas na fila do transplante de órgão

A campanha Setembro verde deste ano tem como tema “Doar órgãos é vencer o tempo”.

Rosa Amélia aguarda por um transplante de rim há sete anos (Foto: Ruy Barros

Nessa quarta-feira (1º), foi lançada a Campanha Setembro Verde, que alerta para a importância da doação de órgãos. Atualmente, 984 pessoas estão na fila de espera aguardando por um transplante no Maranhão.

A campanha deste ano tem como tema “Doar órgãos é vencer o tempo”. A proposta é promover ações com o objetivo de esclarecer e sensibilizar profissionais de saúde e a população quanto ao processo de doação e transplante de órgãos.

As ações da campanha foram apresentadas à imprensa durante um café da manhã realizado nessa quarta. Na ocasião, a Central Estadual de Transplantes (CET-MA), vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (SES), também apresentou o balanço dos transplantes realizados no primeiro semestre de 2021, quando foram realizados três transplantes de rim, um transplante de fígado e 77 transplantes de córnea.

De acordo com a médica nefrologista e coordenadora da Central Estadual de Transplantes, Maria Inês de Oliveira, quando existe uma sociedade mais conscientizada acerca da importância do ato de doar órgãos, o número de doações aumenta e, consequentemente, diminui o número de pessoas em espera.

“Enquanto a média nacional de negativa familiar é de 44%, no Maranhão, esse percentual foi de 68% em 2020. Isso faz com que a gente se mobilize, principalmente durante a campanha do Setembro Verde, para conscientizar a sociedade sobre a importância da doação”, explicou a coordenadora.

Entre as pessoas na fila de espera aguardando por um transplante de órgão no Maranhão está a dona de casa Rosa Amélia Borges Soeiro, 51 anos. Ela contou que há sete anos realiza o tratamento de hemodiálise três vezes por semana e aguarda por um transplante de rim.

“Essa é a segunda vez que meu nome é inserido na fila para transplante. A espera é muito cansativa, um dia estamos bem, no outro dia não. Essa situação é muito difícil, mas tenho certeza que Deus está no controle de tudo e minha hora vai chegar. Vai aparecer um filho de Deus que vai me tirar desse sofrimento”, disse a dona de casa Rosa Amélia.

Dados

A campanha visa sensibilizar a população. Em 2015, foram registrados 18 doadores; em 2016, foram 16; 2017 e 2018 registraram 14 doadores; em 2019 foram registrados 10 doadores; e em 2020, apenas sete. Com a pandemia da Covid-19, o número de transplantes diminuiu. Em 2019, foram registrados 25 transplantes de rim, 3 de fígado, 200 de córnea e 2 de tecidos ósseos. Já em 2020, foram 11 transplantes de rim, 2 de fígado, 162 de córnea e seis de tecidos ósseos.

Uma das beneficiadas com o transplante de órgão foi a advogada Ítala Fernanda Oliveira Gomes, 26 anos. Ela conta que passou cinco anos esperando por um transplante de rim, até que recebeu uma doação do seu amigo. “A doação de órgãos salva e transforma vidas. Ela dá liberdade, qualidade de vida, e o mais importante, perspectiva de futuro. A doação transforma tanto quem recebeu quanto que doou. Recebi a doação do meu melhor amigo e quando ele me vê bebendo água, por exemplo, diz que é a maior felicidade da vida dele. São coisas pequenas que eu não poderia fazer sem o transplante”, comenta a advogada Ítala Fernanda Oliveira.

Atualmente, o Maranhão dispõe de 11 unidades hospitalares notificantes para doação de órgãos, que são: Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II), Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA), Hospital São Domingos (HSD), Hospital UDI, Hospital Guarás, Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (MACMA), Hospital São Luís, Hospital da Mulher e as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Programação

Em 2021, devido a situação sanitária causada pela pandemia da Covid-19, serão desenvolvidas ações, principalmente aquelas destinadas a profissionais da área da saúde, de modo híbrido, com atividades presenciais e virtuais, através de plataformas e mídias sociais. Para a população em geral, a campanha tem como objetivo ações de sensibilização quanto à importância da doação de órgãos e tecidos para transplantes.

Carregando