Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Unidade de Acolhimento Estadual dá início às atividades do Novembro Azul

Evento é dedicado ao desenvolvimento das campanhas de conscientização de combate ao câncer de próstata.

Nesta terça feira (09) a Unidade de Acolhimento Estadual, gerenciada pelo Instituto Vida e Saúde (Invisa), localizada próximo à Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. no bairro da Cohab Anil, em São Luís, deu início às atividades em alusão ao mês de “Novembro Azul”, dedicado ao desenvolvimento das campanhas de conscientização de combate ao câncer de próstata.

Unidade de Acolhimento Estadual deu início às atividades do Novembro Azul (Foto: Divulgação)

O ciclo de palestras foi iniciado com uma profunda exposição sobre o tema, realizado pela coordenadora da unidade, Daiane Oliveira, enfermeira com especializações em urgência e emergência. Em seus relatos, ele falou de casos concretos de pessoas que foram diagnosticadas com câncer de próstata, e, em razão de não terem feito a prevenção, evoluíram rapidamente para óbito.

O ciclo de palestras foi iniciado com uma profunda exposição sobre o tema (Foto: Divulgação)

Daiane Oliveira focou na necessidade de o homem, a partir dos 40 anos, deixar a vergonha de lado e realizar o exame anual da próstata, pois, segundo a coordenadora, o melhor remédio é a prevenção.

Em seu relato, Daiane também destacou que o câncer de próstata é muito agressivo, e possui uma rápida evolução.

A coordenadora Daiane Oliveira ministrou palestra durante a abertura das atividades (Foto: Divulgação)

A reportagem do Jornal Pequeno constatou na plateia a presença de um idoso de 75 anos, que se identificou por Aguinaldo Reis. Ele concedeu um breve relato sobre a sua condição: “O meu caso não foi um câncer de próstata, eu sofri uma hipertrofia na próstata, pois ela foi aumentando de volume e quase fecha. Fiquei com dificuldades de urinar e aí fui obrigado a extirpá-la, mas hoje está tudo normal e de seis em seis meses faço a avaliação. Está tudo bem agora”, afirmou.

A Unidade de Acolhimento, que trata pessoas com dependência química, possui, atualmente, em média, dez homens, os quais, segundo a direção, todos quando ali chegam fazem vários exames médicos, dentre eles o PSA para detectar eventual alteração na próstata. Até a presente data, ainda não foi registrado nenhum caso de câncer de próstata nos acolhidos.

“A maioria dos homens não se atentam para os sinais, que é uma micção comprometida, que é aquela urina pouca, mas é com muita freqüência, até com sangramento. A próstata está embaixo da bexiga, entre o canal uretral, logo, quando se tem um aumento significativo na próstata, isso compromete a micção do homem. Portanto, a prevenção é o melhor caminho”, afirmou Daiane Oliveira.

A coordenadora afirmou que no decorrer da semana ocorrerão palestras com outros especialistas, dando prosseguimento à campanha do Novembro Azul na Unidade.

Carregando