Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

45 casos de feminicídio já foram registrados no Maranhão em 2021

Delegada informou que, na maioria dos casos, vítimas são mulheres negras, carentes, baixa escolaridade, e que moram no interior.

Foto: Reprodução

Começa neste sábado (13) a 5ª edição da Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, que tem como tema “Pelo direito de existir”, e vai até o dia 21 deste mês. Esse evento é realizado pela Polícia Civil, com apoio de outros órgãos parceiros como também dos movimentos de mulheres.

A chefe do Departamento de Feminicídio da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), Wanda Moura, declarou que esse trabalho visa evitar casos de feminicídio. Para a delegada, o tipo de crime se baseia em uma morte anunciada, já que ao longo do relacionamento abusivo a mulher sofre diversos tipos de violência, até perder a própria vida.

“O tema da campanha deste ano se deve ao fato de as vítimas serem mortas por seus companheiros ou ex-companheiros. Que nós mulheres tenhamos todos os nossos direitos reconhecidos e garantidos, principalmente o direito de existir. Que nenhuma mulher mais seja morta pelo ‘machismo”, frisou Wanda Moura.

A delegada informou que a programação da campanha deste ano será aberta com um ato show, no Parque Rangedor, marcado para às 16h. Amanhã (14), haverá panfletagens no Centro Histórico de São Luís; entre os dias 16 a 20, acontecerão palestras em escolas, universidades, empresas e comunidades; e, no dia 21, haverá o encerramento da campanha com a 1ª Corrida de Combate ao Feminicídio, na Avenida Litorânea.

A Semana Estadual de Combate ao Feminicídio do ano passado ocorreu de 13 a 24 de novembro e teve como tema “Essa dor também é minha!”.

Um dos pontos altos da campanha foi a realização de uma caminhada na Litorânea, no dia 16. O ponto de partida do evento foi um ato simbólico, realizado ao lado do Forte de Santo Antônio, na Península, em homenagem às vítimas de feminicídio.

De acordo com os dados da delegada Wanda Moura, até ontem (12), em todo o estado do Maranhão, tinham sido registrados 45 casos de feminicídio. Seis ocorreram na região da Grande São Luís.

“Em comparação com os anos de 2019 e 2020, estamos com números inferiores, mas ainda assim nós precisamos continuar trabalhando com a prevenção, com a educação, pois sabemos que esta é a forma mais efetiva de se evitar que ocorram mortes de mulheres, por feminicídio”, declarou Wandar Moura.

Segundo a delegada, em 2020 houve 65 registros de feminicídio em todo o estado. De acordo com os dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), de 2017 a 2019, foram 141 casos de feminicídio, no Maranhão. Deste total, nove casos ocorreram em São Luís, dois em São José de Ribamar e sete nas demais áreas da Região Grande Ilha.

A delegada informou que na maioria dos casos as vítimas são mulheres negras, carentes, baixa escolaridade, e que moram no interior do estado.

“A pobreza é um fator que tende a aumentar a tendência de violência doméstica. No Brasil todo, o crime ocorre quase sempre no ambiente familiar, quando a mulher decide romper o relacionamento abusivo”, destacou Wanda.

Hoje (13), completam-se cinco anos que a publicitária Mariana Costa, segundo a Justiça, foi assassinada pelo ex-cunhado Lucas Porto. No ano de 2017, a data de 13 de novembro foi instituída como o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio.

Carregando