Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pesquisa aponta queda de 66% nos lançamentos de apartamentos em São Luís

O percentual se refere aos meses de julho, agosto e setembro deste ano, comparado ao mesmo período de 2020.

Pesquisa apontou queda de 66% nos lançamentos de apartamentos em São Luís (Foto: Divulgação)

Uma pesquisa da Brain, que é uma empresa de inteligência estratégica, afirma que no terceiro trimestre de 2021, correspondente aos meses de julho, agosto e setembro, São Luís amargou perdas no mercado imobiliário. Numa desequilibrada partida entre oferta e demanda, o placar marcou, no período citado, apenas 549 apartamentos lançados.

Na comparação do terceiro trimestre de 2020, quando foram lançados 1.598 apartamentos, o tombo foi de 66%, segundo Fábio Tadeu Araújo, sócio diretor da Brain.

Fábio Tadeu informou que quando fez a análise das vendas, ele percebeu que elas estiveram estabilizadas tanto em termos de unidades, quanto em Valor Global de Vendas (VGV). E que a queda de lançamentos não teve a ver com uma redução de vendas ou de interesse do consumidor.

Fábio levantou a possibilidade de que o problema esteja no aumento expressivo de custos, obrigando construtoras a fecharem as torneiras de novos projetos.

O sócio diretor da Brain disse ainda que é o momento de empresários e consumidores equilibrarem a equação da demanda e oferta, em vista ao baixo número de apartamentos lançados nos três meses.

“A pandemia ainda está ‘viva’, e há a vontade da busca pela melhor qualidade de vida, e isto se traduz na busca por um imóvel. Porém, está também mais desafiador vender, em especial por dois motivos: o primeiro é o aumento da taxa de juros, que consequentemente aumenta o custo de aquisição de um imóvel. E o segundo motivo é a inflação, que reduz o poder aquisitivo das pessoas”, declarou Fábio Tadeu.

AVALIAÇÃO DE MERCADO

Entre janeiro e setembro de 2021, conforme o resultado da pesquisa da Brain, foram identificados 53 empreendimentos residenciais verticais com vendas ativas, com uma oferta lançada de 13.226 unidades verticais residenciais. E encontram-se em comercialização 3.575, gerando uma disponibilidade de 27,0%.

A Brain observou que existem ofertas em todos os padrões de imóveis residenciais, que são: econômico, standard e super luxo. Os dois primeiros, segundo a Brain, detêm uma participação de 92,1% das unidades em oferta lançada. O padrão que detém a menor oferta é o super luxo com apenas um empreendimento e um total de 45 unidades lançadas (0,3% de representatividade).

A Brain lembra no seu relatório de pesquisa, que no ano de 2014 houve 3.110 unidades lançadas, e restaram 269 unidades para comercialização, o que equivale a uma disponibilidade de 8,6%. Em 2018, 2.040 unidades lançadas, cuja disponibilidade ainda seria de 1,9%. Em 2019, 1.531 unidades lançadas, das quais 1.334 já foram vendidas. Em todo o ano de 2020, 3.522 unidades lançadas, com 36,5% de disponibilidade.

Com relação à oferta comercial, a Brain diz que foram encontrados em São Luís cinco empreendimentos comerciais para a comercialização, com uma oferta lançada de 1.007 unidades, e destas 32 estão disponíveis para venda (3,2% de disponibilidade). A maior oferta disponível é do padrão médio (de R$ 8.001 a R$ 10.000 o m² privativo), com 17 unidades em estoque.

A Brain também analisou que o preço do metro quadrado privativo das unidades horizontais de casas ficou em R$ 3.133, já o preço do metro quadrado privativo das unidades horizontais de terrenos em condomínio fechado ficou em R$ 395. Loteamento aberto apresentou R$ 229/m² de preço praticado para comercialização.

QUEM É A BRAIN

A Brain é uma empresa de inteligência estratégica do mercado imobiliário, que trabalha há 18 anos em todo o Brasil. Ela atua em quatro áreas. Uma delas é a Rebrain, especializada em estudos e pesquisas; bBrain, que é assessoria especializada em business; iBrain, pesquisa de opinião para todos os segmentos, exceto político; e a área de eBrain, que é a área de cursos online

Carregando