Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia prende homem que exercia ilegalmente a medicina no Maranhão

O suposto médico confessou o crime, relatando que utilizava o carimbo de um profissional da área pelo fato de ter se formado no Paraguai

Foto: Reprodução

Equipes da Polícia Civil prenderam, nessa sexta-feira (3), em Itinga do Maranhão, um homem acusado de exercer ilegalmente a medicina. Segundo a polícia, o acusado atuava como médico no Hospital Municipal da cidade.

Ainda segundo a polícia, há 20 dias denúncias foram feitas informando que um falso médico estava atuando no Hospital Municipal. Após o fato, os policiais iniciaram as investigações, que constataram que o carimbo utilizado pelo suposto falso médico pertencia a um profissional que atua na cidade de Belém, no Estado do Pará, com especialização em ginecologia e obstetrícia, o que levantou suspeita.

A polícia conseguiu constatar que o suspeito atuava como falso médico durante uma operação contra o tráfico de drogas, que ocasionou na prisão de três homens. Os presos foram encaminhados para realização de exame de corpo de delito no Hospital Municipal da cidade e, logo após, a equipe policial constatou que o carimbo que constava nos referidos exames se tratava do suposto “falso médico”.

Como a Polícia Civil já possuía fotografias do médico que usava o CRM falso, os policiais fizeram comparação e constataram que não se tratava de tal pessoa. O fato foi comunicado a autoridade policial, que imediatamente se dirigiu ao hospital com as equipes, onde conversaram com o suposto médico de plantão e informaram acerca da investigação preliminar em andamento.

O suposto médico confessou o crime, relatando que utilizava o carimbo de um profissional da área pelo fato de ter se formado no Paraguai e não ter realizado a prova do revalida no Brasil.

No hospital, foram apreendidos o carimbo utilizado pelo conduzido, bem como tirado cópias de fichas de atendimentos realizados pelo suspeito. O homem recebeu voz de prisão em flagrante e que foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Itinga do Maranhão, onde foi autuado e posto em liberdade após recolhimento de fiança criminal no valor de R$ 7 mil.

Carregando