Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pastor suspeito de hipnotizar e estuprar mulheres oferecia ‘abraço terapêutico’

Polícia afirma que ele ainda pedia fotos íntimas e orientava as vítimas a tirarem a roupa para receberem o tratamento.

Pastor e psicanalista, Sérgio Brito é acusado de abuso sexual por várias mulheres (Foto: Reprodução)

Mais três mulheres estão acusando um pastor de cometer abusos sexuais durante sessões de terapia. Os casos teriam acontecido em sua clínica na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Sérgio Brito foi preso na última quinta-feira (16) por suspeita de estupro de vulnerável.

Pastor e psicanalista, Sérgio Brito é presidente de duas unidades da igreja Assembleia de Deus, em Duque de Caxias e em Magé. Ele é suspeito de hipnotizar e estuprar mulheres durante as consultas.

De acordo com as denúncias, o pastor oferecia ‘abraço terapêutico’, pedia fotos íntimas e orientava as vítimas a tirarem a roupa para receberem o tratamento.

Até esta sexta, já são sete pacientes que denunciaram os abusos na delegacia mas a Polícia Civil acredita que esse número seja bem maior.

Uma das vítimas contou que teve depressão em 2010 e procurou Sérgio Brito por indicação de um médico. A mulher relatou que, durante as sessões, Sérgio Brito ofereceu “abraço terapêutico” e se esfregou nos seus seios. Ele também teria pedido para que ela levasse fotos íntimas, nuas ou de lingerie para fazer o tratamento.

Pastor pretendis fugir

Segundo a Polícia Civil, o pastor Sérgio Brito planejava sair do Rio de Janeiro e fugir para Brasília depois que as primeiras denúncias de abuso apareceram.

Após ser preso, o pastor não quis prestar depoimento, e foi levado diretamente para o presídio de Benfica.

Agentes cumpriram mandados de busca e apreensão na clínica do suspeito. Foram encontrados documentos que podem ajudar a identificar novas vítimas. O material será analisado pelos investigadores.

Carregando