Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Vitamina D e Obesidade

Essa poderosa forma vitamínica está associada a condições favoráveis a saúde, tendo papel fundamental em todas as fases de vida

Foto: Reprodução

A 25- hidroxivitamina D é um micronutriente essencial para o organismo humano. Encontra-se armazenada, em grande quantidade, especialmente no fígado, tendo como principal função permitir que o cálcio dos alimentos seja absorvido no intestino.

Essa poderosa forma vitamínica está associada a condições favoráveis a saúde, tendo papel fundamental em todas as fases de vida, não somente para os adultos, mas desde a infância estando atrelada,por exemplo, a caso de deficiência, a importantes déficits nutricionais
e ao raquitismo.

Além disso, ainda confere extrema relevância durante todo o período gestacional e, igualmente salutar para a terceira idade sendo responsável pela saúde óssea e melhora da massa magra.

Ao contrário das demais vitaminas, aproximadamente 80% de vitamina D que precisamos, advém necessariamente da penetração dos raios UVB pela pele, estando apenas 20% de sua forma biodisponível oriunda da alimentação. Isso por si só já explica o porquê encontramos níveis tão pífios na população de um modo geral.

Vale destacar, ainda, que o fator de proteção solar impede sua penetração na pele, e por conseguinte, sua absorção. A vitamina D tem papel importante no metabolismo do cálcio e fósforo, prevenindo doenças como osteoporose, osteopenia e hiperparatireoidismo secundário. Todos os estudos mostraram que a manutenção de níveis supra basais dessa importante molécula, auxilia para a diminuição da resistência periférica insulínica e controle de níveis glicêmicos sendo, portanto, importante para a prevenção e tratamento do diabetes do tipo 2.

Os últimos trabalhos que estão sendo amplamente divulgados pela sociedade médica, demonstram ainda os benefícios da 25- hidroxivitamina D também para a prevenção e tratamento da obesidade. Isto pode ser perfeitamente entendido pelo simples fato de que níveis satisfatórios desse micronutriente participam não somente da síntese da gordura, como também contribuem efetivamente para o aumento da massa magra.

Estudo recente publicado pela sociedade norte americana de nutrologia, contendo 200 pessoas que foram submetidas ao tratamento para obesidade, apontou que 83% dos participantes tinham níveis de vitamina D insuficientes. Essa mesma pesquisa identificou que, ao longo do
tratamento para a obesidade, os participantes que melhor aderiram ao tratamento, cerca de 58%, tinham realizado suplementação em um
dado momento ao longo da terapia.

Desta forma, temos a cada dia mais e mais elementos que corroboram com a necessidade urgente de otimizarmos uma suplementação
criteriosa dessa que é, sem dúvida, uma das vitaminas mais poderosas para o corpo humano.

Por: Rômulo Pavão – Emagrecimento & Performace – Idealizador e coordenador do programa antiobesidade – CRM-MA:10517

Carregando