Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Grande São Luís registra três homicídios em menos de 48 horas

Três homens foram assassinados, entre a manhã do sábado (25) e madrugada dessa segunda-feira (27).

(Foto: Ilustração)

Três homens foram assassinados, entre a manhã do sábado (25) e madrugada dessa segunda-feira (27), na região metropolitana de São Luís. Dois deles foram vítimas de arma de fogo.

O primeiro caso foi registrado na Rua Uruguai, no bairro da Divineia, na manhã do dia 25. A vítima foi identificada como Daniel Azevedo da Silva, de 33 anos.

Segundo o delegado Felipe César, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), o autor já está identificado. Trata-se de um morador das quitinetes onde ocorreu o crime, e que teria brigado com a vítima antes de matá-la.

“Na noite anterior, o Daniel foi até essa espécie de condomínio de quitinetes para separar uma briga de casal armado com um facão. Nesse dia, o autor teria disparado contra a vítima, que conseguiu fugir. Já no dia do crime, ele retorna, invade a casa do autor e corta o cano de gás do imóvel”, explicou o delegado.

Assim que tomou conhecimento do que estava acontecendo, o autor foi até o local e assassinou a vítima, ainda de acordo com o delegado.

Já no sábado (26), por volta das 15h30, na Vila Mangueirão, em São José de Ribamar, um jovem de 18 anos foi executado com tiros na região da cabeça. Uma das balas o alvejou no olho.

Francisco Adailson Cunha dos Anjos era morador do interior do estado e estava de passagem pela cidade. No dia do crime, ele acompanhava o irmão e um amigo em um aniversário quando uma dupla passou pelo local, o chamou e assim que ele se aproximou efetuou os disparos.

O jovem ainda foi socorrido e levado ao hospital do município, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

O último homicídio ocorreu próximo a um bar, localizado no centro da cidade de Raposa, e teve como vítima José Arimar Rodrigues, 40 anos.

Conforme o delegado Felipe César, ele era conhecido por beber na área e foi esfaqueado na região do tórax. O crime pode ter sido cometido durante uma briga.

Ele morreu no local, e familiares informaram que José Arimar também tinha envolvimento com drogas.

Todos os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil, por meio da SHPP. Até o momento, ninguém foi preso.

Carregando