Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Superação e inspiração com Luiz Thadeu: o maior viajante do mundo com mobilidade reduzida

Após 43 cirurgias, o engenheiro agrônomo já visitou 143 países, e passou por todos os continentes.

Alguns registros das mais de 100 viagens feitas por Luiz Thadeu (Foto: Arquivo Pessoal)

Por muitas vezes, acabamos nos entregando à rotina, se deslocando do trabalho para casa e da casa para o trabalho, sem muitas mudanças no cotidiano. Às vezes, só um compromisso com a família ou resolver trivialidades. A história que vamos contar a seguir não quis fazer parte dessa massa que se acostuma com seu dia-a-dia e acabar por enterrar seus sonhos. Pelo contrário, vem para que possamos refletir sobre o valor da vida e a necessidade que temos de nos reinventar, recomeçar, e conhecer o novo, alçando lugares cada vez maiores.

O maranhense Luiz Thadeu Nunes e Silva é um engenheiro agrônomo, e, principalmente, um sonhador que resolveu mudar de vida após um grave acidente em 2003. Aos 43 anos, ele pegou um táxi de linha, daqueles com lotação ao longo do trajeto, em um fim de tarde no Rio Grande do Norte, quando o motorista foi atender o celular e colidiu de frente com um caminhão.

Luiz acordou três horas depois, com fratura exposta no fêmur, no assoalho de um utilitário. Tudo seu foi levado, menos sua vontade de viver e coragem para enfrentar o que viria em seguida.

Nos anos seguintes, passou por 43 cirurgias, não sabia se voltaria a andar e escutou dos médicos que o melhor era amputar a perna, mas desistiu um dia antes da cirurgia.

A virada na vida de Luiz se deu quando ele terminou suas cirurgias em 2009 e seu filho Frederico foi morar em Dublin. Seis meses depois ele foi visitá-lo, com seu outro filho, Rodrigo. A partir daí, viajou por 8 países da Europa, e esse foi apenas o começo de tudo.

Ao longo de sua jornada já visitou 143 países, passando por todos os continentes, e pretende ir, inclusive, para a Antártida muito em breve.

Para o viajante Luiz Thadeu, seu tempo é o aqui e agora, pois sabe que não tem tempo a perder. Ele relata que já viajou nove vezes para a Argentina, vinte vezes para os Estados Unidos, cinco vezes para Israel, cinco vezes para Itália e França, três vezes para o Peru e para o Uruguai, duas vezes para a Austrália e duas para a Nova Zelândia. Quando tem oportunidade, retorna a países anteriormente visitados. Ele conta que toda experiência é válida, e que todos podemos ir conhecer esses lugares, se organizando, trabalhando, pesquisando muito e aproveitando as chances que a vida oferece.

Mesmo com a mobilidade reduzida, Luiz nunca viu isso como empecilho, e sim como motivação para sair do seu lugar e realizar suas metas: “Como eu ando de muletas e tenho mobilidade reduzida por isso, eu procuro mostrar para as pessoas que tem as duas pernas boas que, se eu que tenho mobilidade reduzida, sou capaz de pegar um avião e descer em qualquer parte do mundo, elas também têm”, disse Luiz.

Ele explicou que isso é simbólico para representar que serve para todo e qualquer sonho, e que nós podemos sim realizar aquilo que desejamos: “Minha matéria prima são os sonhos”, afirmou.

Por ter passado muito tempo acamado e em cadeira de rodas, ele disse que viajar foi a forma que descobriu para compensar o tempo perdido, e aproveitar a sua vida da melhor forma.

Luiz falou que sempre pensa em ir mais longe, que é o seu desafio pessoal, e já foi em países bem exóticos, bem como pretende botar em prática seu planejamento para 2022: dar a volta ao mundo.

Luiz Thadeu explicou que devemos sempre começar botando nossos sonhos no papel, traçando planilhas, e a partir daí fazer nosso planejamento, tanto financeiro como de vida. “Assim, você dispõe dos seus recursos e é capaz de saber quanto tem e quanto deve ter para começar a praticar seus sonhos, indo sempre além”.

Hoje, é bem mais complicado viajar por conta dos valores, e Luiz não descartou esses problemas, mas ele deixou bem claro que o nosso planejamento pessoal está acima de qualquer obstáculo. Priorizar nossas metas e se organizar vai muito além do financeiro, pois envolve nosso mental e físico, e principalmente, nossa disposição de mudar de vida.

Além da grande inspiração para viagens, turismo e conhecimento, Luiz Thadeu também se disse um homem inspirador na área da educação: aos 63 anos, acabou de concluir o primeiro ano da faculdade de Jornalismo, deixando bem claro que não tem idade para o conhecimento, apenas força de vontade e muita coragem. Ele está muito feliz com mais essa conquista do ano de 2021, e nos inspira a também buscar mais na nossa carreira.

Luiz conta que os planos para o ano que vem são, em especial, ter muita saúde, ainda mais após um ano pandêmico, fazer duas voltas ao mundo pisando em todos os continentes, cursar seu segundo ano em Jornalismo e transformar suas principais crônicas em dois livros físicos, “Baú de Memórias” e “Conversas Matinais”, respectivamente.

Portanto, a história de Luiz Thadeu Nunes e Silva fica como uma palavra de encorajamento para todos, para que saiam do comodismo e vivam seus sonhos, realizem suas metas e alcancem aquilo que desejam. Mesmo os sonhos que parecem enterrados, mas que com essa motivação, possam ser reavivados e concluídos.

Carregando