Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ocupação de leitos de UTI apresenta oscilação em hospitais da Grande São Luís

JP fez um comparativo entre os dez primeiros dias de dezembro de 2021 e janeiro deste ano, com base em informações do boletim da SES.

Números da ocupação de leitos na Grande São Luís apresentam oscilações entre os dez primeiros dias de dezembro e o mesmo período de janeiro (Foto: DIvulgação)

Os boletins epidemiológicos da Secretaria Estadual da Saúde (SES-MA) lançam um alerta sobre as hospitalizações na região metropolitana de São Luís, o que inclui Raposa, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e a capital maranhense. De acordo com os boletins, os pacientes internados representam suspeita de Covid-19.

O Jornal Pequeno fez um comparativo entre os dez primeiros dias de dezembro de 2021 e os dez primeiros de 2022, e foi percebido um destaque para oscilações na ocupação de leitos de UTI, como também nos leitos clínicos exclusivos para o tratamento do coronavírus.

Nas quatro cidades da Grande São Luís, na rede de saúde do Estado, existem 50 leitos de UTI e 80 clínicos, exclusivos para o tratamento da Covid-19. No dia 1º do mês passado, haviam dez leitos de UTI ocupados, e outros sete preenchidos na área clínica dos hospitais. Ou seja, a taxa de ocupação nas Unidades de Tratamento Intensivo era de 20%.

Um mês depois, no dia 1º de janeiro, a taxa de ocupação registrou aumento de 4%, com total de 24%. Nos leitos clínicos, nessas duas datas respectivamente, as taxas foram 10% e 13,75%.

No dia 2 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, dez estavam ocupados, 40 livres, e taxa de ocupação de 20%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 6 estavam ocupados, 74 desocupados, e 7,50% de taxa de ocupação.

No dia 2 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 12 estavam ocupados, 38 livres, e taxa de ocupação de 24%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 13 estavam ocupados, 67 desocupados, e 16,25% de taxa de ocupação.

No dia 3 de dezembro, foram registrados os mesmos dados do dia 2 daquele mês. Já nos leitos clínicos, foram registradas sete internações, com taxa de ocupação de 8,75%.

No dia 3 de janeiro, o quadro de hospitalizações não alterou em relação ao dia anterior, ou seja, o dia 2 de janeiro. Porém, comparado com dezembro, existiu uma alta de mais de 8% de ocupação nos leitos clínicos.

No dia 4 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, 11 estavam ocupados, 39 livres, e taxa de ocupação de 22%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 6 estavam ocupados, 74 desocupados, e 7,50% de taxa de ocupação.

No dia 4 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 11 estavam ocupados, 39 livres, e taxa de ocupação de 22%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 12 estavam ocupados, 68 desocupados, e 15% de taxa de ocupação.

SEM DECLÍNIO

As comparações dos dias 5 de dezembro e 5 de janeiro revelaram que não houve declínio de ocupações de leitos. No dia 5 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, dez estavam ocupados, 40 livres, e taxa de ocupação de 20%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 7 estavam ocupados, 73 desocupados, e 8,75% de taxa de ocupação.

No dia 5 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 15 estavam ocupados, 35 livres, e taxa de ocupação de 22%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 12 estavam ocupados, 62 desocupados, e 22,50% de taxa de ocupação.

No dia 6 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, nove estavam ocupados, 41 livres, e taxa de ocupação de 18%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, seis estavam ocupados, 74 desocupados, e 7,5% de taxa de ocupação.

No dia 6 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 19 estavam ocupados, 31 livres, e taxa de ocupação de 38%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 23 estavam ocupados, 57 desocupados, e 28,75% de taxa de ocupação.

No dia 7 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, dez estavam ocupados, 40 livres, e taxa de ocupação de 20%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, sete estavam ocupados, 73 desocupados, e 8,5% de taxa de ocupação.

No dia 7 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 22 estavam ocupados, 28 livres, e taxa de ocupação de 44%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 28 estavam ocupados, 52 desocupados, e 35% de taxa de ocupação.

No dia 8 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, nove estavam ocupados, 41 livres, e taxa de ocupação de 18%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, oito estavam ocupados, 72 desocupados, e 10% de taxa de ocupação.

No dia 8 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 24 estavam ocupados, 26 livres, e taxa de ocupação de 48%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 34 estavam ocupados, 46 desocupados, e 42,5% de taxa de ocupação.

No dia 9 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, nove estavam ocupados, 41 livres, e taxa de ocupação de 18%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, oito estavam ocupados, 72 desocupados, e 10% de taxa de ocupação.

No dia 9 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 24 estavam ocupados, 26 livres, e taxa de ocupação de 48%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 35 estavam ocupados, 45 desocupados, e 43,75% de taxa de ocupação.

Por fim, no dia 10 de dezembro, dos 50 leitos de UTI, dez estavam ocupados, 40 livres, e taxa de ocupação de 20%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, sete estavam ocupados, 73 desocupados, e 8,75% de taxa de ocupação.

No dia 10 de janeiro, dos 50 leitos de UTI, 25 estavam ocupados, 25 livres, e taxa de ocupação de 50%. No mesmo dia, dos 80 leitos clínicos exclusivos, 37 estavam ocupados, 43 desocupados, e 46,25% de taxa de ocupação.

Carregando