Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Primeiras crianças recebem doses da vacina contra a Covid-19 em São Luís

O Maranhão receberá 50 mil doses do imunizante Pfizer para aplicação no público alvo.

Após a vacinação, Arthur Gabriel brinca com os personagens do ‘Miranha’ (Foto: Gilson Teixeira)

As primeiras doses da vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos idade foram aplicadas nessa sexta-feira, 15, em evento simbólico realizado no Shopping da Criança, em São Luís.

Três crianças com comorbidades receberam as primeiras doses pediátricas do imunizante contra o coronavírus no Maranhão.

A primeira criança vacinada contra a Covid-19 no Maranhão foi a pequena Maires Vitória, de 11 anos, diagnostica com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Na sequência, foram imunizados Isabela Moraes, também de 11 anos, vítima da paralisia infantil, e Arthur Gabriel, de 7 anos, portador da Síndrome de Down. Além da dose do imunizante, cada uma das três crianças recebeu das mãos do governador Flávio Dino um Certificado de Vacinação.

Repasse das doses aos municípios

O Maranhão receberá 50 mil doses de vacina do imunizante Pfizer. O Ministério da Saúde fará a entrega de doses semanais até contemplar aproximadamente um milhão de crianças no Maranhão nesta faixa etária.

A aplicação das doses é competência dos municípios e cabe ao Governo do Estado atuar no seu repasse para as cidades maranhenses. A Secretaria de Estado da Saúde (SES) fica responsável pela distribuição dos imunizantes aos 217 municípios, dentro de 48h após a chegada das vacinas, por meio de transporte aéreo e terrestre.

Vacinação

Em todo o Brasil, a vacinação infantil ocorrerá em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas. A vacina para crianças de 5 a 11 anos tem diferenças em relação à que foi aplicada nos adultos. Será aplicada uma versão específica do produto, com dosagens e frascos diferentes, mas com o mesmo princípio ativo.

Na primeira fase, a vacinação será apenas para crianças com algum tipo de comorbidade ou deficiência, além de indígenas e quilombolas.

Em nota divulgada em dezembro do ano passado, as sociedades brasileiras de Imunizações (SBIm), Pediatria (SBP) e Infectologia (SBI) apontaram que “os benefícios da vacinação na população de crianças de 5 a 11 anos, com a vacina Comirnaty, superam os eventuais riscos associados à vacinação, no contexto atual da pandemia”.

Carregando