Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Servidores do IBAMA são investigados por desvio de madeira apreendida no Maranhão

Os membros do grupo criminoso recebiam vantagens indevidas daqueles que eram beneficiados com a destinação ilegal da madeira.

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira, 11, na cidade de Imperatriz, a Operação Xilógrafo (Foto: Divulgação/PF)

A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira, 11, na cidade de Imperatriz, a Operação Xilógrafo, com objetivo de combater os crimes de Corrupção Passiva, Organização Criminosa e Lavagem de Capitais.

A investigação teve início no ano de 2021, após informações de que servidores do IBAMA estariam desviando madeira apreendida e direcionando à terceiros de forma ilegal. Em contrapartida, os membros do grupo criminoso recebiam vantagens indevidas daqueles que eram beneficiados com a destinação ilegal da madeira.

Após a realização de inúmeras diligências, foi possível identificar e qualificar vários membros da Organização Criminosa que atuavam nos municípios de São Luís e Imperatriz.

Neste contexto, a Polícia Federal representou judicialmente por quatro mandados de busca e apreensão e pelo afastamento cautelar de um servidor da Autarquia. Os pedidos foram deferidos pela 1º Vara Criminal Federal da SSJ de Imperatriz/MA.

As medidas judiciais foram cumpridas em endereços residenciais e na Sede do IBAMA, todas no município de Imperatriz.

Os envolvidos, segundo a Polícia Federal, responderão pelos crimes de Corrupção Passiva, Organização Criminosa e Lavagem de Capitais e, caso condenados, podem ser apenados com até 30 (trinta) anos de reclusão.

A operação foi denominada XILÓFAGO, que consiste em espécie de inseto que se alimenta da madeira, principal matéria-prima negociada ilegalmente pelos integrantes da organização criminosa.

Carregando