Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Um dos acusados de linchamento a homem amarrado em poste é condenado a 13 anos de prisão

Foram ouvidas 10 testemunhas e interrogados os seis réus, durante mais de 15 hora de julgamento.

Depoimento de um dos acusados (Foto: Divulgação)

Após mais de 15 hora de julgamento, os jurados do 2° Tribunal do Júri condenaram a 13 anos e 9 meses de reclusão Ivan Santos Figueiredo pelo linchamento e morte de Cleidenilson Pereira da Silva. Os demais acusados – Élio Ribeiro Soares, Ismael de Jesus Pereira de Barros, Cícero Carneiro de Meireles Filho, Marcos Teixeira Barros e Waldecir Almeida Figueiredo – foram absolvidos.

Os crimes ocorreram no dia 06 de julho de 2015, por volta das 15h30, no bairro Jardim São Cristóvão.

Todos foram acusados de linchamento e morte de Cleidenilson Pereira da Silva e tentativa de homicídio contra o adolescente A.G.T. Em relação à tentativa de homicídio, o Conselho de Sentença desclassificou para lesão corporal e ainda será julgado.

O julgamento começou às 8h30 dessa terça-feira (22) e só terminou por volta das 2h da madrugada de quarta-feira (23). Foram ouvidas 10 testemunhas e interrogados os seis réus. O adolescente A.G.T. (vítima ) foi a primeira testemunha ouvida. O pai da vítima Cleidenilson Pereira acompanhou a sessão de julgamento desde o início.

O julgamento foi presidido pelo juiz Gilberto de Moura Lima, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Ivan Santos Figueiredo deve cumprir a pena em regime fechado.

A acusação ficou com o promotor de justiça Rodolfo Reis. Na defesa atuaram os advogados Ítalo Leite, Luanna Andrade, Paulo Sérgio Ribeiro e Nathan Chaves.

Em dezembro de 2020 foram julgados e absolvidos em júri popular pelos mesmos crimes os acusados Alex Ferreira da Silva, Raimundo Nonato Silva e Felipe Dias Diniz, por não existir prova suficiente para a condenação. O julgamento também ocorreu no 2º Tribunal do Júri, localizado no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau).

O CASO

Cledenilson Pereira da Silva, de 29 anos, morreu no dia 6 de julho de 2015, no bairro Jardim São Cristóvão, em São Luís, após ter sido agredido por populares. Ele tentou assaltar um bar na região, na companhia de um adolescente.

Cledenilson estava armado com um revólver, e foi surpreendido por clientes do local, que travaram luta corporal com ele.

Após ter sido dominado, Cledenilson foi amarrado com uma corda em um poste e agredido até a morte.

Carregando