Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Água para consumo está com alta concentração de níquel, chumbo e selênio em Godofredo Viana

Movimento dos Atingidos por Barragens apresentou laudos de pesquisa realizada no distrito de Aurizona.

Após rompimento de barragem, Mineradora Arizona é acionada para fornecer água potável em Godofredo Viana (Foto: Divulgação)

Nessa sexta-feira (25), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) apresentou, durante coletiva, em São Luís, os laudos técnicos de pesquisa realizada no distrito de Aurizona, localizado em Godofredo Viana, local onde se rompeu a barragem Pirocaua, da mineradora de ouro canadense Equinox Gold.

De acordo a coordenadora regional do MAB no Piauí e Maranhão, Dalila Alves Calisto, que faz parte da coordenação nacional do MAB, a pesquisa foi realizada por quatro universidades públicas: Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

As instituições se dividiram entre frentes de trabalho, desde as coletas de água, solo e sedimentos da região de Aurizona, até as análises laboratoriais e produção de relatórios que trazem à tona a realidade vivida pela população do distrito.

Leia mais: Agência de Mineração interdita barragem em Godofredo Viana

“Os resultados constatam que os igarapés e os balneários de água de consumo humano estão contaminados. Há alta concentração de níquel, chumbo, selênio. Também foram encontrados ferro, alumínio, maganês. No total, cerca de 25 pontos das áreas foram analisados, em setembro de 2021 e também em fevereiro deste ano. Esta é a primeira ação, um estudo inicial”, informou Dalila.

A coordenadora do MAB disse que é preciso uma intervenção urgente. “É necessário que se faça uma intervenção, no sentido de encontrar fonte de água limpa e potável, e interromper a distribuição de água contaminada, que está sendo coletada do Balneário de Juiz de Fora, que foi um dos mais contaminados”, destacou Dalila.

Ainda segundo o MAB, os resultados dos laudos podem fortalecer as denúncias da população de estarem consumindo água contaminada por produtos tóxicos utilizados pela mineradora. Para maior confiabilidade dos dados, as amostras foram coletadas em dois momentos distintos, em setembro de 2021 e em fevereiro de 2022.

MULTA DE R$ 33 MILHÕES

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Maranhão (Sema-MA) aplicou multa de R$ 33 milhões contra a Equinox Gold, e a multa nunca teria sido paga. “A empresa continua impune, responde processo no Ministério Público Federal, pois há um ano não fornece água potável para 1.500 famílias, que correspondem a quase quatro mil pessoas. Agora, temos que levar nosso estudo para os órgãos de Justiça, e esperamos que algo seja feito”, disse Dalila.

INCIDENTE

O incidente na barragem ocorreu no dia 25 de março de 2021. A causa, segundo Dalila, foi uma falha na barragem, que rompeu. “O problema foi a falta de manutenção e a negligência sistemática que a empresa trata as barragens”, garantiu Dalila.

Segundo a empresa, o ocorrido deu-se pelo excesso de chuvas na região que fez um lago de água natural transbordar, e descartou o rompimento.

Equinox Gold se posiciona

Em nota encaminhada ao Jornal Pequeno, a Equinox Gold afirmou que o sistema de abastecimento de água no distrito de Aurizona encontra-se em plena operação e fornecendo água potável para toda a comunidade local. Afirmou ainda que todos os testes e análises dos parâmetros de potabilidade são apresentados, frequentemente, às autoridades.

Confira abaixo a nota da Equinox Gold na íntegra:

Nota de Esclarecimento

“A Equinox Gold, responsável pela operação da Mineração Aurizona S.A. (MASA), reforça que o sistema de abastecimento de água no distrito de Aurizona encontra-se em plena operação e fornecendo água potável para toda a comunidade local. Relatórios técnicos recentes, assinados por consultoria independente, certificam a qualidade da água tratada, bem como a completa recuperação ambiental da Lagoa Juiz de Fora, fonte de captação de água para tratamento. Já a Lagoa do Pirocáua foi excluída do cadastro de barragens da Agência Nacional de Mineração (ANM), após sua completa descaracterização e recuperação ambiental. Todos os testes e análises dos parâmetros de potabilidade são apresentados, frequentemente, às autoridades e à comunidade.

A MASA destaca, ainda, que cumpriu integralmente todos os compromissos estabelecidos para a assistência à população local, após o incidente ocorrido em março de 2021, na região. Entre as principais ações realizadas nesse período, a empresa concluiu a construção de uma nova Estação de Tratamento de Água, com tecnologia e estrutura compatíveis para o adequado provimento da população. A nova ETA, investimento de cerca R$ 5 milhões custeado pela empresa, foi doada ao município de Godofredo Viana, que é o responsável pelo seu funcionamento, e possui quatro profissionais da própria comunidade na sua operação. O equipamento está em funcionamento integral, após período de testes desenvolvidos nos últimos meses, e contribui para ampliar e melhorar o atendimento à comunidade de Aurizona.

Por fim, a Equinox Gold reafirma seu compromisso com uma atuação transparente, responsável e sustentável. A empresa busca manter uma escuta ativa em relação às demandas da população de Aurizona, a fim de construir uma relação de respeito, confiança e parceria. Assim, está, permanentemente, aberta ao diálogo e à avaliação de novas ações que possam promover mais qualidade de vida para a comunidade e mais desenvolvimento para a região.”

Carregando