Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Convocada audiência de mediação para tentar resolver crise do transporte público em São Luís

Sindicato informou que a greve será por tempo indeterminado, até que seus pedidos sejam atendidos pelos patrões.

Com os ônibus retidos nas garagens, usuários precisaram recorrer aos meios alternativos (Foto: Gilson Ferreira)

A desembargadora Márcia Andrea Farias da Silva, do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, convocou uma audiência de mediação entre o Sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte, com o intuito de resolver a crise no transporte público em São Luís.

A mediação está agendada para a tarde desta quarta-feira, dia 30, às 15h00, no Gabinete da Presidência, no prédio sede do TRT da 16ª Região.

“Assim sendo, considerando as prescrições legais e constitucionais no sentido de que deve ser tentada a autocomposição em todas as fases processuais, determino a realização de audiência de MEDIAÇÃO, a realizar-se no dia 30/03/2022, quarta-feira, às 15h00, no Gabinete da Presidência, no prédio sede do TRT da 16ª Região”, destaca treco da decisão da desembargadora.

A desembargadora Márcia Andrea Farias da Silva já havia determinado que 60% da frota de ônibus circule na Grande São Luís, por se tratar de serviço essencial. Apesar da ordem judicial, os rodoviários afirmaram que a greve irá continuar de forma geral, até que ocorra um entendimento entre as partes.

Greve começou em fevereiro

Nessa terça-feira (29), o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (Sttrema) deflagrou a continuidade da greve geral, na região metropolitana de São Luís. A decisão foi votada em assembleia geral, na tarde de segunda-feira (28).

A greve começou no dia 16 de fevereiro deste ano, quando houve paralisação de 100% da frota. No quarto dia de paralisação, o Tribunal Regional do Trabalho 16ª Região (TRT-MA) mandou prender 15 rodoviários do Sttrema, por não estarem cumprindo uma determinação judicial de que pelo menos 60% da frota de coletivos estivessem circulando.

Os rodoviários entraram com recurso no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que derrubou a decisão do TRT. Do dia 24 de fevereiro até segunda-feira (28), apenas 60% da frota estava circulando, e, desde ontem, 29 a paralisação é de 100%.

Reivindicações

De acordo com o presidente do Sttrema, Marcelo Brito, entre as reivindicações apresentadas estão a implantação imediata do índice de 15% de reajuste salarial, ticket alimentação no valor de R$ 800 e manutenção do plano de saúde.

“Chegamos ao nosso limite. Tentamos, de todas as formas, garantir uma negociação, que atenda às reivindicações dos trabalhadores. Não podemos ficar assistindo a intransigência dos patrões, sem interesse algum em resolver esse impasse”, afirmou Marcelo Brito, presidente do Sindicato dos Rodoviários.

Carregando