Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão registra três mortes por Covid-19 em uma semana, diz boletim da SES

Mesmo com redução, número mostra que a doença ainda mata, apesar das vacinas e demais hábitos de prevenção.

Entre os dias 28 de março e 4 de abril, o Maranhão registrou três mortes por Covid-19, segundo os boletins de epidemiologia da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgados diariamente no site do órgão.

A quantidade de mortes pode ser julgada por quem ler como “irrisória”, mas acena para o fato de que a doença ainda existe e continua matando, mesmo que em números menores, com vacinação avançada e o “hábito” do uso da máscara.

O estado maranhense já ultrapassou 400 mil casos de pessoas infectadas pelo coronavírus, desde que a doença se alastrou e matou o total de 10.873 pacientes.

Em relação aos três óbitos ocorridos no intervalo da última semana, o primeiro foi registrado no dia 29 de março, e se tratava de uma pessoa com mais de 70 anos. O segundo, no dia 31, também com mais de 70 anos; e o terceiro, no dia 2 de abril, entre 60 a 69 anos.

2.943 PESSOAS DOENTES

Conforme o último boletim, são 42.6292 casos de coronavírus, desde 2020. Atualmente, 2.943 estão doentes, sendo 2.910 em isolamento domiciliar, 17 em enfermarias e 16 em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI).

Em 24 horas, houve 18 novos casos em São Luís, e outros quatro no interior do estado. Apesar de a doença matar expressivamente os idosos, tendo sido quase 8 mil e representando mais de 80% das vítimas fatais, o alto índice de contaminados está na faixa etária de 20 a 29, com 91.345 infectados.

BRASIL FORA DA ZONA DE ALERTA

De acordo com o observatório Covid-19 FioCruz, o Brasil tem todos os estados fora da zona de alerta para ocupação de leitos de UTI. O ranking é dividido por cores: vermelho para um nível crítico (acima de 80%), amarelo para médio (acima de 60%) e verde para baixo.

Na região metropolitana de São Luís, há 30 leitos de UTI exclusivos para Covid-19; dois deles estão ocupados atualmente, o que representa uma taxa de ocupação de 6,67%. No caso dos leitos de enfermaria, são 50, dois ocupados, taxa de ocupação de 4%. Vale ressaltar que são leitos do Sistema Único de Saúde (SUS).

DE PANDEMIA PARA ENDEMIA

Os indicadores da SES mostram ainda a Covid-19 supostamente pode ser considerada como uma endemia, uma doença que vai estar presente ao longo do tempo, quando há uma queda acentuada de registros e a redução dos protocolos de segurança (no Maranhão, uso de máscara deixou de ser obrigatório).

Hoje, apenas a exigência do passaporte da vacina foi mantida pelos órgãos estaduais e os federais com atuação no estado.

Carregando