Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Comando Geral da PM oferece atividades lúdicas e terapêuticas para pessoas com deficiência

Participam do tratamento pessoas com autismo, síndrome de Down e diversas outras necessidades especiais.

Centro de Equoterapia da Polícia Militar (Foto: Divulgação)

O Centro de Equoterapia da Polícia Militar do Maranhão consolida suas atividades sociais com a incorporação de outros serviços à estrutura. Criado em 2005, a unidade vem evoluindo, dando acesso a mais praticantes. O centro funciona no Comando Geral da PM, no Calhau, e oferece atividades lúdicas e terapêuticas para pessoas com deficiência e necessidades especiais, utilizando cavalos.

“A iniciativa ultrapassa os muros da corporação e, além da segurança, transmite humanidade, contribui para a recuperação e garante a inclusão”, destaca o Comando Geral da PM.

Participam do tratamento pessoas com autismo, síndrome de Down e diversas outras necessidades especiais. Atualmente, são atendidos 100 praticantes, semanalmente, nos horários da manhã e tarde, de segunda a sexta-feira, em atividades de coordenação motora, terapêuticas. A equipe é composta de policiais militares e voluntários, nas áreas de psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiológos, educadores físicos e pedagogos.

Aos praticantes que possuem comprometimento motor, o cavalo pode ajudar por meio de estímulos que darão avanços na mobilidade, equilíbrio, movimentação, força, entre outros. Para pessoas com déficit de aprendizagem ou autismo, o contato com o cavalo pode ajudar a estimular o raciocínio, a aprendizagem, treinar a concentração e outros benefícios. O animal também contribui no controle de problemas como ansiedade e outras questões psicológicas.

O exercício adequado do praticante com o cavalo é definido pelo profissional, que irá identificar a melhor abordagem para cada pessoa, de acordo com as suas necessidades. “Estamos de portas abertas para atender as pessoas e inseri-las nas ações da equoterapia”, frisou o tenente-coronel Soares Junior. Os cavalos que participam da ação são treinados para a função e dóceis. A Polícia Militar de Caxias também conta com um Centro de Equoterapia.

Ampliação

Novas atividades lúdicas com materiais diversos foram incorporadas ao tratamento e já são utilizadas pelo serviço, entre estas, a dançoterapia e infoterapia, tratamentos que antecedem a equoterapia. O centro tem parceria com a Associação Maranhense de Equoterapia (AME).

Inscrição

Para ter acesso ao serviço, basta ir ao Comando da Polícia Militar, no Calhau, levando documentos pessoais da pessoa com deficiência, mais laudo médico. É feita uma triagem com os técnicos da equoterapia e após, dado início ao atendimento, que dura dois anos.

Carregando