Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Em três dias, Imperatriz registra cinco assassinatos

Uma das mortes registrada foi de um homem em confronto com policiais militares.

Daniel Coelho, Miguel Feliz, Aureliston Guimarães e Gilson Oliveira foram vítimas de homicídio, em Imperatriz (Foto: Divulgação)

A cidade de Imperatriz foi palco de cinco homicídios em três dias. A quinta morte registrada foi de um homem em confronto com policiais militares.

O primeiro homicídio foi registrado na sexta-feira (22), e teve como vítima Daniel Coelho de Sousa. Três homens armados invadiram a casa dele, roubaram pertences e o sequestraram.

O corpo de Daniel só foi encontrado no outro dia, no povoado Cacauzinho, com várias marcas de tiros na região da cabeça. A polícia apura o caso como um possível acerto de contas.

Em 2015, Daniel foi preso após fazer a família de um gerente do Banco do Brasil do Tocantins refém.

Na madrugada de sábado (23), Miguel Feliz de Sousa, de 41 anos, foi esfaqueado em um bar, após uma discussão com um adolescente, que foi apreendido minutos depois pela PM.

No mesmo dia, à noite, no Conjunto Residencial Deutônio Vilela, Aureliston Guimarães, assassinado com um golpe de faca no abdômen. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu antes de chegar ao hospital.

Já Gilson Oliveira de Sousa foi alvejado com quatro tiros, na porta de sua residência, no Parque Independência, quando chegava de uma festa, na madrugada de domingo (24).

TROCA DE TIROS

No sábado, uma dupla que estava em uma motocicleta roubada, no bairro Sebastião Régis, tentou fugir ao avistar policiais militares. Na ocasião, eles abandonaram o veículo e correram para um matagal.

Conforme a PM, durante a perseguição, os dois trocaram tiros com os policiais e um deles acabou baleado e morreu no Socorrão de Imperatriz. Ele foi identificado apenas como Thalisson. Já o comparsa dele se entregou e foi levado à delegacia

Carregando