Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

30 mil processos físicos são descartados de forma sustentável pela Corregedoria Geral da Justiça

Iniciativa integra a programação da Jornada da Sustentabilidade 2022.

Corregedoria realizou descarte sustentável de 30 mil processos físicos (Foto: Divulgação)

A Corregedoria Geral da Justiça fez a entrega de 30 mil processos físicos para descarte sustentável por meio da Cooperativa de Reciclagem de São Luís. A solenidade realizada na manhã dessa sexta-feira (10), na sede da Divisão de Gestão e Controle Ambiental da CGJ, no Parque Pindorama, em São Luís, integra a programação da Jornada da Sustentabilidade 2022: O Judiciário por “Uma Só Terra”, realizada pelo Poder Judiciário por meio do Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça do Maranhão – TJMA.

Os processos físicos entregues à cooperativa tramitavam nas unidades judiciais de todo o Maranhão, passaram pelo procedimento de digitalização e migração para o ambiente virtual do sistema PJe – Processo Judicial Eletrônico, e após cumprirem prazo legal, estão aptos a serem reciclados.

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Froz Sobrinho, ressaltou que o correto descarte dos processos contribui com a geração de emprego e renda para, pelo menos, 31 famílias que trabalham na cooperativa.

O corregedor também anunciou que vai encaminhar mensagem aos juízes solicitando a adesão à devolução de impressoras que estão subutilizadas nas unidades judiciais de todo Estado, reforçando o compromisso com a redução dos custos de impressão do Judiciário, impactando positivamente o Meio Ambiente.

O desembargador Jorge Rachid, presidente do Núcleo Socioambiental do TJ, ressaltou que 90% do que jogamos “fora” gera renda para os agentes ambientais que trabalham com o processo de reciclagem, e a parceria que o Poder Judiciário mantém com a Cooperativa de São Luís, desde 2019, tem ajudado a preservar o Meio Ambiente e transformar a vida das pessoas que participam desse processo de reciclagem. “Estou muito feliz porque no Tribunal de Justiça do Maranhão não se admite mais o consumo de copos plásticos, gasto excessivo com papel, materiais gráficos, dentre outros, além de buscarmos a sensibilização da comunidade sobre a importância da separação do lixo para reciclagem”, frisou.

Carregando