Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Vigilantes que trabalham nas escolas municipais de São Luís fazem protesto

Semed informou que a empresa Transporter Vigilância vem descumprindo, de forma reiterada, as obrigações contratuais.

Protesto de vigilantes, bloqueou a Avenida Castelo Branco, no São Francisco (Foto: DIvulgação)

Vigilantes que trabalham nas escolas da rede municipal de São Luís fizeram uma manifestação, por volta das 9h31 dessa segunda-feira (4), na Avenida Marechal Castelo Branco, no bairro do São Francisco. O objetivo foi cobrar o pagamento de dois meses de salários que estão atrasados.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes, Sílvio Roberto Carvalho, informou que os manifestantes foram para a frente da Secretaria Municipal de Educação (Semed) de São Luís, após conversa com a empresa que os contratou.

Segundo Sílvio, a terceirizada responsável pelo serviço de vigilância das escolas não fez o pagamento de salário dos profissionais da área, nos últimos dois meses.

“A alegação da empresa é que a Semed não paga, por isso fomos à Semed reivindicar nossos salários”, informou Sílvio Roberto Carvalho.

Um lado da Avenida Castelo Branco foi interditado com pneus em chamas. O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar o fogo na via.

Durante a manifestação, houve um tumulto entre os manifestantes e policiais. A Polícia Militar informou que os vigilantes estavam com os “ânimos exaltados”.

Também foi informado pela polícia que, após negociações com os protestantes, a pista foi liberada.

ACORDO

Conforme Sílvio Roberto Carvalho, a Semed teria se comprometido de realizar os pagamentos atrasados até a próxima quinta-feira (7). “Caso não seja feito o pagamento, vamos dar início a uma greve geral”, declarou.

Já a Polícia Militar informou que os manifestantes se reuniram com o secretário adjunto da Semed, Maurício Evandro Martins Hiluy, ainda na manhã de ontem, e que houve um acordo entre a Secretaria e o Sindicato.

OUTRO LADO

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que a empresa Transporter Vigilância vem descumprindo, de forma reiterada, as obrigações contratuais, com atraso no pagamento dos salários e demais direitos trabalhistas de seus funcionários.

A Semed ressaltou que mantém diálogo com o Sindicato dos Vigilantes do Maranhão (Sindivig-MA) e entrou em processo de mediação com o Ministério Público do Trabalho (MPT), para garantir o pagamento das verbas dos trabalhadores.

Registrou, ainda, que a empresa descumpriu o compromisso firmado na última reunião de mediação para apresentação da planilha contendo todos os valores devidos aos vigilantes que prestam serviços perante a Semed. Em razão do descumprimento, a empresa Transporter já sofreu sanções de advertência e multa.

Por fim, a Semed reafirma o compromisso com os trabalhadores em observâncias às regras legais.

Carregando