Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Vinda de consultor chinês da “Nova Rota da Seda” aponta oportunidade de desenvolvimento para o MA

Evento internacional pretende proporcionar panorama das oportunidades com a inclusão de São Luís no mega programa chinês.

O governador Carlos Brandão fez visitas à China, que abriram chances para o Maranhão na “Nova Rota da Seda” (Foto: Divulgação)

Em fevereiro deste ano, o Jornal Pequeno foi o primeiro veículo da imprensa maranhense a noticiar que um estudo de análise exploratória apontava São Luís (MA) e Paranaguá (PR) como lugares a serem incluídos no megaprojeto chinês conhecido como “Rota da Seda da China”. De acordo com o documento Strategic locations for logistics distribution centers along the Belt & Road: explorative analysis and research agenda, a capital maranhense aparece como um dos melhores locais do mundo para investimentos chineses no exterior, em escala global.

O nome “Rota da Seda” é uma alusão à época em que a China era o grande centro da economia da Europa e da Ásia, quando a seda era o principal produto comercializado.

Um dos formuladores da Expansão da Rota da Seda é o professor e pesquisador Paul Tae-Woo Lee, PhD, uma das maiores autoridades no tema, com um vasto currículo, especialista em Logística Portuária, professor da Universidade Zhejiang (China). Lee virá ao Maranhão para um amplo debate sobre o que poderá representar, do ponto de vista econômico, a inclusão de capital na Nova Rota da Seda.

O Simpósio Internacional de Logística, com o tema “As Potencialidades do Maranhão na Nova Rota da Seda: oportunidades de negócios e desenvolvimento para o Brasil”, de caráter técnico e internacional, tem início nesta segunda-feira (11), no Palácio dos Leões e prossegue até a próxima quarta-feira, com debates na Fiema e na Emap (Porto do Itaqui).

Com realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDEPE), em parceria com a Fundação Sousândrade (UFMA), o evento tem como objetivo fornecer informações estratégicas sobre o projeto mas, sobretudo, proporcionar uma visão do leque de oportunidades de desenvolvimento econômico que surge para o Brasil com a inserção da capital maranhense na Nova Rota da Seda.

O simpósio deverá reunir empresários, investidores, economistas e interessados na proposta de cooperação internacional com meta de instituir um gigantesco programa mundial de investimentos.

Desde 2013, a China executa o Plano BRI (Belt & Road Initiatives), o “projeto do século”, segundo o presidente da China, Xi Jinping, com objetivo de instituir um gigantesco programa mundial de investimentos, envolvendo países de todos os continentes, que compõem cerca de um terço da economia mundial.

De acordo com pesquisa da Universidade de Fudan (Xangai-China), a Nova Rota da Seda já investiu 59,5 bilhões de dólares, ou seja, cerca de 315 bilhões de reais, em 2021, na infraestrutura de países. Estimativas apontam que o mega plano de investimento chinês gira em torno de 5 trilhões de dólares para financiar portos, aeroportos, gasodutos, oleodutos em quase 70 países até 2049.

POTENCIAL DA CAPITAL MARANHENSE

São Luís do Maranhão é apontada no estudo Strategic locations for logistics distributions centers along the Belt & Road, de 2022, elaborado pelos mais renomados especialistas do mundo. A capital maranhense possui extraordinárias condições para receber o projeto em razão de conexões rodoviárias, ferroviárias e condições portuárias excepcionais.

A ligação feita pela Ferrovia Norte-Sul, eixo principal do transporte de cargas do Brasil, interligando malhas ferroviárias das cinco regiões do país, é um exemplo. Na região chamada de Arco Norte, ou seja, acima do paralelo 16, nenhum estado possui condições similares de logística de transporte.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Reinaldo Tavares, a inclusão de São Luís no maior programa de expansão econômica do mundo, o da China, não é uma realidade distante, já que um dos países vizinhos do Brasil, a Argentina, aderiu este ano ao projeto e deverá receber mais de 23 bilhões de dólares de investimentos.

“Além de estreitar essa parceira fundamental com o mais importante parceiro comercial do Brasil, a China, a vinda do professor Lee vai nos subsidiar de informações essenciais a uma fase inédita de desenvolvimento socioeconômico para o Maranhão. A Rota da Seda é a maior oportunidade de desenvolvimento econômico e social que jamais tivemos no estado”, explica o ex-governador Tavares.

Carregando