Maranhão recebe gigante da bioeconomia e se prepara para transformação socioeconômica

Desde a fase de construção da fábrica serão criados 2.500 empregos, injetando uma considerável quantidade de vagas de trabalho.

Fonte: Redação / Assessoria

Um marco histórico foi estabelecido para o Maranhão, a partir do lançamento oficial da pedra fundamental da mais recente unidade do Grupo Inpasa Brasil, na cidade de Balsas. A cerimônia, que contou com a presença do governador Carlos Brandão e do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, determinou um avanço significativo para a transformação socioeconômica do Sul Maranhense, nessa terça-feira (10).

Maranhão recebe gigante da bioeconomia e se prepara para transformação socioeconômica (Foto: Gilson Teixeira)

A Inpasa Brasil, considerada uma empresa líder em transformação de cereais em energias limpas e renováveis da América Latina, escolheu Balsas, no Maranhão, como o lar de sua quinta unidade na região Nordeste, a partir dos esforços dos governos Federal e Estadual.

Os impactos econômicos e sociais do empreendimento já poderão ser vistos desde a fase de construção da fábrica, quando serão criados 2.500 empregos, injetando uma considerável quantidade de vagas de trabalho e renda na localidade.

Após a conclusão da unidade, está prevista a manutenção de cerca de 1.200 empregos, estabelecendo uma base sólida para o crescimento futuro da cidade de Balsas e de toda a região.

Com a chegada do Grupo Inpasa Brasil ao Maranhão, além de avançar na industrialização e geração de empregos, o estado se torna um ambiente de crescimento também ao agronegócio, a partir do investimento de R$ 2,5 bilhões. Pioneira na transformação de milho em etanol no Brasil, a Inpasa possui operações bem-sucedidas em diversas localidades do país e do Paraguai, processando 7,5 milhões de toneladas de milho por ano.

O governador Carlos Brandão expressou sua gratidão ao vice-presidente Geraldo Alckmin por sua contribuição fundamental na mediação deste projeto crucial para o Maranhão, afirmando que é um momento de grande importância para o estado, em especial, para a região de Balsas.

O governador maranhense pontuou, ainda, que a chegada da planta industrial também será estimulante para a construção de uma cadeia de alimentos, gerando um ciclo virtuoso de crescimento do Maranhão, que terá relação com a diversificação da economia maranhense, o estímulo à inovação tecnológica e à força de trabalho altamente qualificada, além da atração de novos empreendimentos.

“A Inpasa irá gerar 2.500 empregos durante a sua construção, e cerca de 1.200 depois de pronta. Isso vai construir toda uma cadeia de produção de alimentos não só de proteína vegetal, mas também animal”, completou Carlos Brandão.

O vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin, também destacou a relevância deste investimento para o Maranhão.

“É um grande investimento. Uma planta industrial de quatro fábricas, que vai produzir etanol de milho, alimento, proteína para ração animal, energia elétrica a partir da biomassa, que é energia renovável. E o principal, vai gerar empregos, renda e desenvolvimento para a região”, afirmou Alckmin.

Com a proposta de transformar a economia local e abrir portas para um Maranhão com um futuro mais verde e próspero, o vice-presidente do Grupo Inpasa Brasil, Rafael Ranzolin, enfatizou o potencial de desenvolvimento agrícola e econômico que a empresa traz para o estado.

“A Inpasa vem para o Maranhão com uma grande oportunidade de desenvolver culturas de segunda safra para o biocombustível e para toda a cadeia de proteína animal. O etanol de milho nesse momento passa a se chamar etanol de cereais, otimizando as áreas onde se faz o cultivo, por meio de uma tecnologia agronômica que potencializa a produção em escala. Acreditamos em uma revolução por meio da bioeconomia. O Maranhão vai ser verde, o Brasil vai ser verde. E a Inpasa será a grande precursora dessa expansão”, afirmou Ranzolin.