Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Casal preso em Pernambuco pela morte de empresário será transferido para o Maranhão

O recambiamento da dupla para o estado depende agora do alinhamento entre a Polícia Civil com o Poder judiciário

Daiane é suspeita de participar da morte do empresário Chico Paraná (Foto: Divulgação)

O casal Wanderson Ferreira de Almeida e Daiane da Silva Almeida, que estava foragido da Justiça e foi preso no sábado (16), na cidade de Goiana, no estado de Pernambuco, deverá ser transferido ao Maranhão em até 30 dias, segundo a Polícia Civil. Eles são suspeitos de sequestrar, matar e ocultar o cadáver do empresário Francisco Adelino Rech, mais conhecido como “Chico Paraná”, em junho do ano passado, na cidade de Balsas.

Conforme informações do delegado regional de Balsas, Fagno Vieira, o recambiamento da dupla para o estado depende agora do alinhamento entre a Polícia Civil com o Poder judiciário.

Daiane estava foragida desde o dia 23 de abril, após ter sido liberada pela Justiça para cumprir prisão domiciliar, devido às medidas de prevenção ao coronavírus. Na ocasião, ela saiu do presídio de Balsas sem usar a tornozeleira eletrônica, que estava em falta na unidade prisional.

Como era previsto pela polícia, a mulher foi encontrar o namorado logo após a fuga. O mecânico Wanderson Ferreira estava em Goiana desde janeiro e no local mantinha uma oficina, de acordo com as investigações. Até que retornem ao Maranhão, ambos permanecerão presos em unidades prisionais de Pernambuco.

“Chico Paraná” foi morto com golpes de punhal e requintes de crueldade, dez dias após ter sido sequestrado. O corpo dele só foi encontrado quatro meses depois, na zona rural do município de Riachão.

De acordo com as investigações da polícia, Daiane e o namorado, o mecânico Wanderson Ferreira de Almeida, são os responsáveis pelo crime. O empresário foi mantido em cárcere privado na casa dela, que também mantinha um relacionamento com ele fazia dois anos.

Carregando