Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia prende suspeito de matar idosa no bairro Recanto dos Signos, em São Luís

O crime ocorreu no dia 26 de maio, dentro da casa da vítima

A idosa foi morta dentro de sua própria casa, no Recanto dos Signos, estrangulada com um pano de prato (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil prendeu, nessa quarta-feira (17), o vizinho suspeito de assassinar, no mês passado, Joana Maria Diniz, de 66 anos. O crime ocorreu no dia 26 de maio, dentro da casa da vítima, localizada no bairro Recanto dos Signos – região da Cidade Operária, em São Luís.

A idosa, segundo investigado pela Polícia Civil, foi estrangulada. De acordo com o delegado Felipe César, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), o suspeito, identificado apenas como Caio, confessou ter matado a vítima. Ele foi localizado e preso em uma rua do centro da capital maranhense.

LATROCÍNIO

Ainda de acordo com o delegado, em depoimento, o suspeito relatou a dinâmica do crime e que fez uso de entorpecentes antes da ação. “Ele invadiu a casa dela, porque já sabia que a vítima possuía dinheiro guardado. Houve uma discussão e ele acabou agredindo e estrangulando a idosa. Ele também confessou ter levado os valores que estavam na residência”, pontuou Felipe.

As investigações apontaram, ainda, que há três anos o suspeito já havia furtado um aparelho celular da vítima. Na ocasião, o pai do autor interveio na situação. Conforme a polícia, pai e filho chegaram a trabalhar em uma reforma na casa da idosa. Foi nessa época, segundo apurado, que o suspeito soube sobre o funcionamento da residência e que ela morava sozinha.

Após ser ouvido, Caio foi autuado pelo crime de latrocínio e, em seguida, encaminhado ao Centro de Triagem de Pedrinhas, onde ficará à disposição à justiça.

RELEMBRE O CASO

No dia 26 de maio, Joana Maria Diniz, de 66 anos, foi morta por estrangulamento, dentro da própria casa, localizada no bairro Recanto dos Signos, em São Luís. O principal suspeito do crime era um jovem de 21 anos, vizinho da vítima.

Na época, o delegado Leonardo Carvalho, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que atendeu a ocorrência, relatou que o crime teria acontecido no período da manhã, mas o corpo somente foi descoberto após anoitecer.

Conforme o delegado, uma vizinha da idosa sentiu falta dela, ligou para um irmão da vítima, que foi até a casa, abriu o imóvel e a encontrou já sem vida. A residência estava bastante revirada, tendo sido localizados quatro celulares danificados e com os chips retirados.

O corpo de Joana Maria estava deitado na cama com um pano de prato em volta do pescoço. Após levantamentos feitos no local, chegou-se até o vizinho, que teria usado uma escada para pular o muro e chegar à casa da vítima.

Na residência do suspeito, os policiais localizaram vários objetos de adoração e culto ao satanismo. No quarto dele, que era iluminado por uma luz vermelha, segundo o delegado Leonardo, existia a inscrição 666, além de uma cruz de cabeça para baixo e vários desenhos de demônios.

Carregando