Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Hacker foragido da Operação Ostentação é preso em São Luís

A quadrilha é suspeita de causar um prejuízo de quase R$13 milhões ao banco virtual Nubank.

Material apreendido pela polícia com o suspeito (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil do Maranhão prendeu, nessa quarta-feira, 13, um indivíduo identificado pelas iniciais M. B. A, apontado como um dos líderes da quadrilha de hackers na cidade de Imperatriz. Foragido da justiça, o suspeito foi localizado em um condomínio no bairro do Calhau, em São Luís. A prisão ocorreu por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais – SEIC (Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos) e o Centro de Inteligência da Polícia Civil (CIPC).

Com o investigado, a polícia encontrou a quantia de R$ 15.000,00, dois notebooks, vários chips, bolsas de grife, celulares, comprovantes de transferências bancárias e uma pequena quantidade de drogas.

A prisão é um desdobramento da Operação Ostentação, que vem investigando esta quadrilha que causou prejuízo de quase R$13 milhões ao banco virtual Nubank. O fato ocorreu nas cidades de São Luís, São José de Ribamar, Paço Do Lumiar, Imperatriz, Coroatá, Carolina, Açailândia, São João do Paraíso, Governador Nunes Freire e nos Estados do Goiás e Tocantins, em dezembro de 2020.

Entenda o caso

A Polícia Civil do Maranhão (PCMA) realizou dia 16 de dezembro a segunda fase da Operação Ostentação, que combate uma quadrilha de Hackers que causou um prejuízo ao banco digital Nubank no valor quase 13 milhões de reais.

Cerca de 280 policiais civis do Estado do Maranhão estão nas ruas cumprindo vários Mandados de Busca e de Prisões nos municípios de Imperatriz, São Luís, Governador Nunes Freire, Açailândia, Carolina, São João do Paraiso, Cidelândia, Davinópolis, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e João Lisboa. A ação policial conta com apoio da Policia Civil do Estado do Goiás (PCGO), na cidade de Aparecida do Goiás, Policia Civil do Estado do Tocantins(PCTO), nas cidades de Augustinópolis e São Bento/TO.

De acordo com a Polícia Civil, sao 58 Mandados de Prisão e cerca de 90 de Busca e Apreensão. Mais de 20 suspeitos já foram presos, e determinado o bloqueio 3 milhões em contas dos investigados

Os presos foram conduzidos ao Colégio Militar Tiradentes 2 – R, em Imperatriz, onde haverá entrevista coletiva com o secretário de Segurança do Maranhão, Jefferson Portela, e demais responsáveis pela operação.

Carregando