Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Quatro pessoas são indiciadas por luta de boxe que resultou na morte de maranhense em Teresina

O inquérito ainda indica que os organizadores da luta tentaram esconder que o evento funcionou de maneira clandestina.

Lutador maranhense morreu após passar mal durante a luta (Foto: Reprodução)

Quatro pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil por participar do evento em que o lutador maranhense Jonas Carvalho Filho morreu após uma luta de boxe clandestina, no dia 24 de abril, em Teresina. Os indiciados se tratam de dois enfermeiros, um radiologista e um fisioterapeuta.

De acordo com a polícia, essas pessoas, por serem da área da saúde, tinham a obrigação de saber que o evento não deveria ocorrer, pois nenhum órgão autorizou e promovia aglomeração. Anteriormente, a Federação Piauiense de Boxe haviainformado que o evento era clandestino.

Leia mais: Luta de boxe clandestina resulta na morte de uma pessoa em Teresina

Ao todo, 20 pessoas foram ouvidas no inquérito policial até o momento. Segundo a polícia, além dos profissionais de saúde, podem ser indiciados os organizadores do evento e o lutador adversário, caso seja confirmada a morte por traumatismo craniano. Eles ainda não foram ouvidos pela polícia.

Entre os interrogados, a polícia ouviu depoimento da médica que atendeu o lutador ao chegar ao Hospital Buenos Aires, em Teresina. Ela afirmou ter passado cerca de 40 minutos tentando reanimar a vítima, que foi entubada, mas teve duas paradas cardíacas e morreu.

O inquérito ainda indica que os organizadores da luta tentaram esconder que o evento funcionou de maneira clandestina. Eles teriam informado no hospital que a vítima se machucou durante um acidente de moto, e logo após afirmaram que havia sido em um treino.

O CASO

Uma luta de boxe clandestina terminou em morte, no dia 24 de abril de 2021, na cidade de Teresina-PI. A vítima foi identificada como Jonas de Andrade Carvalho Filho, de 34 anos, maranhense de Timon, que levou vários golpes na região da cabeça e foi a óbito após sofrer uma parada cardíaca no hospital do Buenos Aires.  O ringue estava armado em uma academia no bairro Itaperu, zona Norte da capital piauiense.

De acordo com testemunhas, Jonas de Andrade foi atendido pelos paramédicos que estavam no local. Ele recebeu os primeiros socorros e em seguida foi encaminhado ao hospital, mas não resistiu.

Carregando