Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Oito pessoas são indiciadas por morte de boxeador maranhense em luta clandestina no Piauí

De acordo com o delegado, todos os indiciados têm envolvimento direto no caso.

Lutador maranhense morreu após passar mal durante a luta (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Piauí, por meio do 7° Distrito Policial de Teresina, indiciou oito pessoas nesta quarta-feira (19) por homicídio culposo pela morte do lutador de boxe maranhense Jonas de Andrade Carvalho Filho, de 34 anos. Conhecido como “Guerreiro da Luz”, o boxeador morreu após uma luta clandestina na madrugada do dia 25 de abril, em uma academia no bairro Itaperu, na zona Norte de Teresina.

Leia mais: Luta de boxe clandestina resulta na morte de uma pessoa em Teresina

De acordo com o delegado Menandro Pedro, titular do 7° DP, todos os indiciados têm envolvimento direto no caso. Eles são: José Claudio Lima Sales e Francisco Rulimar Soares da Silva (organizadores); Allef Jordelly Alves Costa (árbitro) e Jonatas Gomes Pereira (boxeador).

Além deles, a fisioterapeuta Maria Teresa Lima Sales, o radiologista Manoel César Alves de Lima Júnior e os enfermeiros João Paulo Pereira dos Reis e Vanessa Antônia Sales Lima também foram indiciados. Eles estavam presentes compondo a equipe médica durante o evento, que era irregular por provocar aglomeração, em um período de restrições municipais e estaduais, e não ter sido autorizado pela  Federação Piauiense de Boxe Amador e Profissional (FEPIBAP). Eles podem responder pelo crime com detenção de um a três anos.

O laudo cadavérico de Jonas Andrade foi concluído e apontou que a causa da sua morte se deu por conta de um traumatismo craniano-encefálico, provocado por uma ação contundente. A reportagem obteve acesso ao documento, que apontou ainda uma hemorragia intracraniana.

Carregando