Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Preso soldado da PM envolvido na execução de goiano na Litorânea, em São Luís

Militar teria sido responsável por dirigir o carro que deu fuga aos dois executores da vítima.

Soldado da PMMA teria sido o “piloto de fuga” dos executores (Foto: Gilson Ferreira)

Foi preso, na última terça-feira (27), em cumprimento a mandado de prisão temporária, um soldado da Polícia Militar do Maranhão, suspeito de participação na execução de um goiano, em fevereiro deste ano, na Avenida Litorânea, em São Luís.

Segundo as investigações da Polícia Civil, o crime, que resultou na morte de Bruno Vinícius Nazon Moraes Borges, foi motivado por conflitos entre organizações criminosas dos estados do Rio de Janeiro e Goiás, envolvidos com a exploração de jogos e bingos eletrônicos em São Luís.

O militar preso teria sido responsável por dirigir o carro que deu fuga aos dois executores da vítima; que, conforme a apurado pela polícia, seriam milicianos e ex-PMs do estado do Rio de Janeiro.

No mês passado, duas pessoas apontadas como mandantes do crime foram presas no bairro do Turu em São Luís.

Depois de interrogado na sede da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), o soldado foi encaminhado ao presídio militar, no Comando Geral da Polícia Militar (PMMA), em São Luís, onde permanecerá custodiado.

RELEMBRE O CASO

Na tarde do dia 12 de fevereiro, deste ano, Bruno Vinícius Nazon Moraes Borges, de 30 anos, foi executado a tiros na Avenida Litorânea, em São Luís. Antes do crime, a vítima almoçou com a família em um restaurante e estacionou o carro na ilha central da avenida.

“Ele voltou ao veículo para buscar um equipamento de criança solicitado pela esposa. No momento que ele sai do restaurante, um veículo sem placas já estaciona ao lado do dele. A vítima ao se aproximar, foi abordada por dois indivíduos de preto, com armas de grosso calibre, que começam a efetuar vários disparos”, explicou, na época, o delegado Jeffrey Furtado, da SHPP.

Conforme o delegado, Bruno Vinícius ainda fugiu correndo, mas foi perseguindo pela dupla, que estava acompanhada, ainda, de uma terceira pessoa responsável por dirigir o carro, modelo Gol, usado na fuga. Ele estacionou em frente ao bar Ôba Ôba Arari, onde a vítima caiu já sem vida, após ser atingida por pelo menos dez tiros. A polícia não informou exatamente quantos o alvejaram.

Bruno era natural do estado de Goiás, mas já morava na capital maranhense, no condomínio Brisas Life, no bairro do Calhau, há algum tempo.

Carregando