Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Acusado de atear fogo na ex-companheira é condenado em São Luís

Crime ocorreu em outubro de 2017, dentro da casa na qual a mulher residia, na Cidade Operária.

Julgamento de Nahim Lemoel, que foi condenado a seis anos e quatro meses de prisão (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Nahim Lemoel da Silva Ribeiro, acusado de atear fogo na sua ex-companheira Dielli Yasmin Viana Costa, na manhã do dia 15 de outubro de 2017, no bairro da Cidade Operária, vai cumprir pena de seis anos e quatro meses de reclusão. Ele foi julgado pelo júri popular nessa quinta-feira (26).

Após o julgamento, ocorrido no Fórum Desembargador Sarney Costa, localizado no bairro do Calhau, o réu foi levado de volta ao presídio, onde já estava recolhido desde dezembro de 2019, depois de ser preso no Distrito Federal. Ele foi condenado por tentativa de feminicídio, sendo a motivação do crime o fato de o réu não aceitar o término do relacionamento.

O acusado foi condenado a 14 anos de reclusão, sendo a pena reduzida porque houve atenuantes, como a confissão do crime perante à autoridade policial e à Justiça.

O juiz titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Gilberto de Moura Lima, que presidiu o julgamento, manteve a prisão do acusado, negando-lhe o direito de recorrer da decisão do júri em liberdade.

Atuou na acusação o promotor de Justiça Rodolfo Soares dos Reis e na defesa o defensor público Thales Pereira. O réu foi condenado por tentativa de homicídio, com as qualificadoras motivo fútil, uso de fogo, emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e violência familiar (feminicídio na forma tentada).

RELEMBRE O CASO

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Dielli Yasmin, que havia saído na noite anterior com o denunciado, em uma tentativa de reatar o relacionamento, no dia do crime estava dormindo em sua residência sozinha, quando Nahim Lemoel da Silva Ribeiro entrou e ateou fogo na casa inteira, inclusive no corpo da vítima.

Em seguida, trancou a mulher dentro do imóvel e saiu andando pela rua, ainda balançando as chaves na mão, de forma bem tranquila.

Os vizinhos, ao sentirem o cheiro de fumaça, arrombaram o imóvel e conseguiram retirar a vítima pela janela. Dielli Yasmin Viana Costa já estava 40% do corpo queimados e apenas pedia socorro. Foi encontrado na casa o litro de álcool que o acusado utilizou para colocar fogo no corpo da mulher.

Consta na denúncia do Ministério Público que o casal, que vivia maritalmente há sete meses, tinha um relacionamento conturbado, com diversos términos e voltas. Nahim Lemoel da Silva sempre ameaçava a companheira e o filho dela de três anos, inclusive já tendo chegado a agressões físicas.

Carregando