Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Acusado de ser o mandante do assassinato da ex-esposa e da filha dela chega a São Luís

Pedreiro, após confessar ter matado as vítimas, afirmou que o empresário pagou R$ 5 mil pelo crime

Acusado de ser o mandante do crime cheou a São Luís para prestar depoimento (Foto: Divulgação)

Preso no último fim de semana em Imperatriz, suspeito de ser o mandante do assassinato da ex-esposa e da filha dela, chegou a São Luís na tarde desta quarta-feira, 24, e foi diretamente conduzido para a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

O empresário G. A. S foi apontado pelo executor do crime, um pedreiro que trabalhava na obra ao lado da casa das vítimas, como mandante das mortes, pelo valor de R$ 5 mil.

O suspeito estava somente à espera dos seus advogados para ser interrogado pela delegada Viviane Fontenele, do Departamento de Feminícidio da SHPP.

O caso

No último dia 07 de junho, Graça Maria Pereira de Oliveira, de 54 anos, e a filha, a jovem Talita Oliveira de Oliveira Friseiro, de 25 anos de idade,  foram encontradas mortas dentro do carro da família, na garagem da casa localizada no bairro Quintas do Calhau, em São Luís. As vítimas estavam enroladas em um lençol.

A polícia apontou o ex-marido da vítima, G. A. S, como principal suspeito. Eles mantinham uma disputa judicial por divisão de bens.

De acordo com informações da delegada Viviane Fontenele, do Departamento de Feminícidio da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), G. A. S contratou uma pessoa para matar mãe e filha. O executor trabalhava em uma obra ao lado da casa das vítimas, e era bem conhecido da família, fato que explica o seu fácil acesso à residência para praticar o crime.

Após o crime, o executor levou os celulares das vítimas e os vendeu no bairro da Divinéia. A SHPP conseguiu localizar o receptador e este apontou para o vendedor, que acabou sendo preso.

Em depoimento, o autor do crime confessou os detalhes do homicídio e relatou ter sido contratado pelo ex-marido de Graça Maria para matar mãe e filha, pela quantia de R$ 5 mil.

O executor relatou em seu depoimento que tinha instruções concretas do ex-marido. Após matar mãe e filha, ele teria que colocar as duas no carro e tocar fogo, ou então, deixar os corpos na cozinha, ligar o gás e acender uma vela. O autor do homicídio apenas deixou os corpos dentro do carro cobertos pelo lençol.

De acordo com a delegada, o autor do crime matou primeiro a mãe, por asfixia, e depois assassinou a filha, asfixiada e com vários golpes de barra de ferro na cabeça.

Com a confissão em mãos, a polícia pediu a prisão do ex-marido, que foi decretada pela Justiça. G.A.S foi preso em Imperatriz.

A delegada Viviane Fontenele informou que um terceiro envolvido no crime foi preso. Trata-se do intermediador para contratar o executor, chefe da obra onde o autor do homicídio trabalhava, ao lado da casa das vítimas.

Inicialmente, segundo a delegada, foi oferecido o valor de R$ 3 mil para a execução do crime, mas, mediante a negativa do autor, houve tratativas e a negociação chegou aos R$ 5 mil, preço cobrado para tirar a vida da mãe e filha.

Carregando