Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Defesa de vereador eleito em Itapecuru-Mirim envia nota de esclarecimento sobre o caso

Na nota, a defesa afirma que o senhor Abraão Martins possui uma única condenação, não definitiva, por porte ilegal de arma de fogo.

Sobre a matéria publicada no site do Jornal Pequeno, nesta quarta-feira, intitulada “Condenado na Justiça, ex-policial militar foi eleito vereador em Itapecuru-Mirim“, a defesa do senhor Abraão Nunes Martins Neto enviou uma Nota de Esclarecimento, rebatendo os pontos da matéria em questão.

Defesa de Abraão Nunes Martins Neto enviou nota de esclarecimento ao JP (Foto: Divulgação)

Na nota, a defesa afirma que vereador eleito possui uma única condenação, não definitiva, de três anos e quatro meses, por porte ilegal de arma de fogo, ocorrida no ano de 2013. E frisou que o senhor Abraão Nunes Martins Neto é um policial aposentado, e não ex-policial.

Sobre os crimes de extorsão, estelionato e organização criminosa, a defesa de Abraão Martins destaca que ele é “tão somente investigado pela Polícia Federal, na operação Ágio Final, e não condenado. O advogado do vereador eleito informou ainda que entrou com um pedido de revogação da prisão do seu cliente, que se encontra preso desde o último dia 3 de dezembro, data de deflagração da operação.

Confira abaixo a nota da defesa do senhor Abraão Nunes Martins Neto na íntegra. 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Acerca das matérias publicadas em diversos veículos de imprensa e redes sociais, cujo alvo foi o vereador eleito ABRAÃO NUNES MARTINS NETO (PDT), em respeito à sociedade Maranhense, especialmente à nossa querida Itapecuru-Mirim, a assessoria jurídica faz este comunicado com base nos esclarecimentos abaixo, para que se restabeleça a verdade dos fatos:

1. Abraão Martins, diferente do que foi exposto, é policial militar aposentado (e não ex-policial), tendo garantido este direito após anos de dedicação à proteção da sociedade maranhense.

2. O futuro vereador possui uma única condenação não definitiva de 03 anos e 04 meses, por porte ilegal de arma de fogo, ocorrido no ano de 2013, cujo a pena foi convertida em prestação de serviços comunitários. Esta decisão ainda não transitou em julgado, estando pendente de recurso no TJ/MA.

3. Em relação aos crimes de extorsão, estelionato e organização criminosa, Abraão é tão somente investigado pela polícia federal, na operação ágio final, e não condenado, como divulgado. O seu nome foi vinculado apenas porque o seu escritório de cobrança extrajudicial já prestou serviços de recuperação de crédito, proveniente de negócios legais, às empresas de Pacovan, principal alvo da operação.

4. Ressaltamos ainda que Abraão responde a uma acusação pelo crime de tortura, sem condenação, quando prendeu em Itapecuru um indivíduo que furtou um boi pertencente ao morador da cidade, apelidado de “Tubarão”, muito conhecido por adestrar animais e promover exibições, garantindo o sustento de sua família.

5. Sobre a morte do empresário Geo, foi provado que o vereador não teve qualquer ligação com o caso, tendo sido arrolado como testemunha, pelo fato do seu irmão ter supostamente se relacionado com a viúva do empresário, sendo que os verdadeiros envolvidos já foram condenados e estão cumprindo pena.

6. Portanto, Abraão Martins é réu primário, ficha limpa, teve sua candidatura deferida, foi eleito vereador e está pronto para assumir seu mandato na câmara municipal e atender aos anseios da população Itapecuruense, que o elegeu. Itapecuru – Mirim/MA, 16 de dezembro de 2020.

LUIS NUNES MARTINS NETO

Advogado OABMA/14887.

Carregando