Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão registra o assassinato de 20 mulheres nos primeiros quatro meses de 2022

O vigésimo crime ocorreu no começo da noite de terça-feira (3), no quarto de uma pousada, na Madre Deus, em São Luís.

Um crime chocou a comunidade da Madre Deus, em São Luís. Elionai Sousa Silva, de 43 anos, matou a facadas sua ex-namorada, Celcilene Santana Rodrigues, 31, que era natural do município de Nina Rodrigues. O autor também sofreu golpes de faca aplicados pela vítima, e está internado no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 1).

Elionai Sousa matou Celcilene Rodrigues a golpes de faca, no interior de uma pousada, na Madre Deus (Foto: Divulgação)

Já Celcilene entrou para a estatística das vítimas de feminicídio, que já totalizam o número de 20 no Maranhão, nos primeiros quatros meses deste ano.

O crime na Madre Deus ocorreu nessa terça-feira (3), por volta das 18h, em um dos quartos da Pousada Ludovicense, localizada na Rua do Gavião. Elionai teve ferimentos na região do tórax, e Celcilene foi atingida no peito e pescoço.

Segundo informações obtidas pelo Jornal Pequeno, uma camareira da pousada passava pelo corredor e ouviu gritos vindos do quarto onde estava o casal. Em seguida, ela avisou o proprietário do estabelecimento. Quando eles entraram no cômodo, encontraram o casal caído no chão, juntamente com a arma utilizada.

Celcilene e Elionai foram socorridos e levados ao hospital, mas a mulher não resistiu aos ferimentos. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Feminicídio, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

De acordo com a delegada Kazumi Tanaka, que é coordenadora das Delegacias de Atendimento e Enfrentamento à Violência contra a Mulher, o Sistema de Segurança Pública do Maranhão trabalha em rede, a fim de que políticas públicas de enfrentamento à violência contra a mulher possam ser traçadas.

“Para isso, nós sabemos que não requer ‘apenas’ o trabalho de repressão da polícia, mas também o trabalho preventivo, que ocorre juntamente com outros organismos que fazem parte desta rede, levando a informação a todas as mulheres”, destacou Kazumi Tanaka.

Segundo a delegada, as ações preventivas ocorrem por atividades sociais, realizadas em todo o Maranhão, e com a utilização de materiais de informação. Nestes conteúdos, há explicações sobre o que é um relacionamento abusivo, e de que forma uma vítima pode fazer a denúncia.

A delegada informou ainda que são feitas campanhas de maneira permanente durante o ano inteiro.

JOVENS SÃO A MAIORIA DAS VÍTIMAS

A delegada informou ainda que a maioria das vítimas são mulheres jovens, com idade entre 18 e 49 anos. “No que se refere à violência sexual, infelizmente, a maioria das vítimas é formada por menores de idade. São abusadas sexualmente por pessoas que convivem ou que já conviveram com elas, como pais, padrastos, irmãos, tios, e amigos”, frisou Tanaka.

A delegada disse que, em relação aos autores, não há um perfil específico. Noque diz respeito aos crimes que são denunciados na delegacia, a delegada informou que são recorrentes situações de violência doméstica e familiar, em que há o rompimento do relacionamento e o autor não aceita o fim.

“A partir disto, o autor promove perseguições, ameaças e agressões. É nesta situação de rompimento que nós observamos que as confusões e as brigas ficam mais acirradas”, informou Kazumi Tanaka.

OCORRÊNCIAS REGISTRADAS EM 2021

Segundo a delegada Kazumi Tanaka, no ano de 2021, o Maranhão registrou o total de 56 casos de feminicídio.

Relembrando alguns casos registrados desde janeiro

Na noite do dia 30 de janeiro, em Lago da Pedra, Vanessa Ribeiro da Silva, de 33 anos, foi morta por arma branca pelo próprio companheiro, identificado somente como “Ari”. O caso é investigado pela Delegacia Regional de Pedreiras.

Deusimar Ribeiro, Gláucia Maria, Ianca do Amaral, Paula Regina, Vanessa Ribeiro e Viviane Batista são mais algumas das vítimas dos feminicídios registrados nos primeiros quatros meses deste ano (Foto: Divulgação)

A polícia informou que o suspeito teria encontrado a vítima com um homem, nome não revelado, em um bar, localizado na área central de Lago da Pedra, o que teria motivado o crime.

No dia 20 de fevereiro, Gian Francesco da Silva assassinou Katiana dos Santos, em São Luís. No dia 23 de abril, foi cumprido mandado de prisão temporária em desfavor do autor, em Campo Grande (MS).

Adailton, Nataniel, Rony Veras e o subtenente Mário Sérgio estão entre os autores dos crimes contra mulheres ocorridos desde o início de 2022 (Foto: Divulgação)

O cumprimento do mandado, emitido por representação do Departamento de Feminicídio do Maranhão, da SHPP, foi possível devido à atuação conjunta das polícias civis do Maranhão e do Mato Grosso do Sul, por meio da Delegacia de Santa Helena (MA) e da Delegacia da Mulher de Campo Grande (MS).

No dia 19 de março, a jovem Mirlem Santos de Sousa, de 36 anos, foi morta a golpes de faca pelo próprio companheiro, nome não revelado, em Santa Inês.

No dia 23 de março, uma mulher, identificada como Gláucia Maria Ferreira, de 30 anos, foi encontrada morta dentro de um bueiro, localizado na Avenida Principal do Sítio do Apicum, em São José de Ribamar. Ela foi assassinada pelo seu marido, José Garcia Ferreira de Souza, 51, preso no mesmo dia do crime.

No dia 27 de março, Paula Regina Silva de Freitas, de 30 anos, foi morta a facadas. O crime aconteceu por volta das 5h27, na rua Projetada do Residencial Orquídeas, em São Luís.

Segundo as informações SHPP, durante a madrugada, Paula e o companheiro chegaram em casa juntos de uma festa, e teriam iniciado uma discussão.

A mãe da vítima, que morava em frente à casa da filha, ouviu os gritos e foi até o local, mas já encontrou Paula Regina caída ao chão, ferida com vários golpes de faca e desacordada.

A Polícia Militar foi acionada e fez buscas na área, conseguindo prender o companheiro da vítima, identificado como Nataniel da Conceição Bezerra, nas proximidades da Santa Efigênia, região da Cidade Operária, na capital maranhense.

No dia 10 de abril, Viviane Batista, de 31 anos, foi morta e seu corpo encontrado no dia 15, nas proximidades da cidade de Vargem Grande.

A vítima foi morta no município de Bacabeira, tendo sido localizada cinco dias depois. O principal suspeito do assassinato é o companheiro da vítima, um subtenente do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), identificado como Mário Sérgio Jardim, de 50 anos, que já está preso.

No dia 13 de abril, uma mulher, identificada como Deusimar Ribeiro dos Santos, também conhecida como “Deusinha”, de 32 anos, foi morta a golpes de faca, dentro de sua residência, no povoado Jiquiri, zona rural de Santa Rita.

Segundo a Polícia Civil do Maranhão, a vítima foi morta pelo próprio companheiro, identificado apenas como “Adailton”.

No último sábado, 30 de abril, Ianca Vales do Amaral, de 26 anos, foi assassinada pelo seu marido, o empresário Rony Veras Nogueira, 41. O crime ocorreu em Dom Pedro, e teria sido motivado por ciúmes.

O casal discutiu em casa e em seguida, a vítima foi alvejada com tiros na perna, na cabeça, tórax e no braço. Ianca Vale não resistiu aos ferimentos. Rony está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Carregando